Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ciências Sociais e Exactas >
CSE - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6532

Título: Repensar os curricula para uma efetiva cidadania ambiental
Autor: Matos, Alda
Cabo, Paula
Fernandes, António
Ribeiro, Maria Isabel
Palavras-chave: Ambiente
Educação
Ciências
Sistema
Multidisciplinar
Issue Date: 2011
Editora: Insttituo Politécnico da Guarda
Citação: Matos, A., Cabo, P., Fernandes, A. e Ribeiro, M. (2011). Repensar os curricula para uma efetiva cidadania ambiental. Revista Egitania Sciencia, 9 (2): 75-100. ISBN: 1646-8848.
Resumo: A utilização desmesurada dos recursos naturais provoca desequilíbrios ambientais que se revelarão desastrosos no curto prazo. A destruição dos solos, florestas, animais e paisagens, a urbanização desordenada, a poluição das terras, águas e atmosfera originam rupturas de difícil recuperação. Na actualidade, o ser humano começa a ter consciência de que a destruição do meio ambiente representa a sua própria destruição. Mas, o analfabetismo funcional, tecnológico e ambiental é o mais difícil de erradicar e, para além disso, atinge pessoas com vários níveis de escolaridade. É no seio desta problemática que se centra esta investigação, sustentada numa revisão bibliográfica, na qual se observa o contributo das várias ciências para a percepção do ambiente como um todo. Oferece-se uma abordagem sistémica, integradora e transversal dos saberes e suas correlações com a vida, numa perspectiva multifacetada que enfatiza a sua natureza inclusiva e abrangente. Conclui-se que os temas e práticas abordados nas escolas se dissociam de uma visão holística da Natureza, fomentando uma aprendizagem fragmentada e incompleta da Biosfera. Sem o reconhecimento da escala de intensificação dos processos naturais que a actividade antrópica provoca, o carácter natural das mudanças globais, os aspectos históricos, a interdependência destes factores com a vida e sua evolução, não poderão formar-se cidadãos conscientes e sensíveis aos problemas ambientais. Só proporcionando uma visão sistémica do planeta no ensino, em que participa a Biosfera, se poderão formar cidadãos responsáveis pelo uso e ocupação do meio natural. The disproportionate use of natural resources is causing environmental imbalances that will prove disastrous in the short term. The destruction of soils, forests, animals and landscapes; chaotic urbanization; pollution of land, water and atmosphere originates ruptures that are difficult to repair. Now, human being begins to realize that the environment destruction is its own destruction. But, functional, technological and environmental illiteracy is the most difficult to eradicate and it reaches people with diverse schooling levels. Based on a literature review, this investigation intents to show the contribution of different sciences to perceive the environment as a whole. It offers a systemic, integrative and transversal approach that integrates knowledge from various disciplines and its correlations with life, in a multifaceted perspective focused on its comprehensive and embracing nature. It is concluded that the issues and practices addressed in schools are not correlated with a holistic view of Nature, encouraging a fragmented and incomplete learning of the Biosphere. Without the recognition of the scale on natural processes intensification that is caused by anthropogenic activity, the natural character of global change, historical aspects, interdependence of these factors with life and its evolution, cannot be formed citizens aware and sensitive to environmental problems. Only, teaching a systemic view of the world, in which participates the Biosphere, could create responsible citizens by the use and occupancy of natural environment.Del uso desproporcionado de los recursos naturales resultan consecuencias que se revelarán desastrosas en el corto plazo. Al destruir los suelos, bosques, animales y paisajes, urbanizar desordenadamente, contaminar la tierra, el agua y el aire, se revelan roturas de difícil recuperación. En la actualidad, el ser humano empieza a darse cuenta de que la destrucción del medio ambiente representa su propia destrucción. Sin embargo, el analfabetismo funcional, tecnológico y ambiental es más difícil de erradicar y abarca los diversos niveles de estudios. Es en esta problemática que se centra el objetivo de esta investigación, basada en una revisión de la literatura, donde se observa la contribución de las diversas ciencias para percibir el medio ambiente. Se ofrece un enfoque sistémico, integrador y transversal del conocimiento y sus correlaciones con la vida en un enfoque pluridimensional centrado en su carácter incluyente y global. Se concluye que los temas y prácticas enseñados en las escuelas se desvinculan de una visión holística de la naturaleza, fomentando un aprendizaje fragmentado e incompleto de la biosfera. Sin el reconocimiento de la escala de la intensificación de los procesos naturales que causan la actividad antropogénica, el carácter natural del cambio global, los aspectos históricos, la interdependencia de estos factores con la vida y su evolución, no se logrará formar ciudadanos conscientes y sensibles a los problemas ambientales. Sólo proporcionando una visión sistémica del mundo en las escuelas, en que participa la Biosfera, se podrá formar ciudadanos responsables para el uso y ocupación del medio natural.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6532
ISBN: 1646-8848.
Appears in Collections:CSE - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ambiente.pdf12,69 MBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE