Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/8491
Título: Autonomia dos utentes de uma unidade de convalescença - resultados preliminares
Autor: Liberal, Rui
Novo, André
Gomes, Maria José
Palavras-chave: Funcionalidade
Capacidade funcional
Atividades de vida diária
Data: 2012
Editora: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança
Citação: Liberal, Rui; Novo, André; Gomes, Maria José (2012) - Autonomia dos utentes de uma unidade de convalescença - resultados preliminares. In I Congresso de Cuidados Continuados da Unidade de Longa Duração e Manutenção de Santa Maria Maior: Dilemas Actuais e Desafios Futuros. Miranda do Douro. p. 29. ISBN 978-972-745-143-2
Resumo: Ao longo das décadas, vários têm sido os termos utilizados para as unidades de convalescença, nomeadamente: convalescent homes, nursing homes e rest homes. As convalescent homes foram desenhadas de forma a criar um ambiente idêntico ao do domicílio e destinam-se a pessoas que recuperam de uma doença de evolução prolongada. O conceito de capacidade funcional representa uma forma de medir se um indivíduo é capaz ou não, de forma independente, desempenhar as atividades necessárias para o seu autocuidado e, caso não seja, confirmar se tal necessidade de ajuda é parcial ou total. Avaliar o nível de dependência para as Atividades de Vida Diária à entrada, a meio do internamento e na alta da Unidade de Convalescença da ULS – Macedo de Cavaleiros; Avaliar as alterações ao nível da locomoção e da cognição desde a entrada até à alta da Unidade de Convalescença da ULSNE – Macedo de Cavaleiros A população foi constituída por todos os utentes internados na Unidade de Convalescença do ULSNE – Unidade de Macedo de Cavaleiros, em 2010. Assim, a amostra é constituída por 173 utente. Como critério de inclusão para o estudo definimos a obrigatoriedade do utente ter três momentos de avaliação: à entrada, a meio do internamento e na alta. Para a recolha de dados foi utilizado o instrumento de avaliação integrada – aplicativo de Monitorização da RCCI. Resultados: Pela análise dos resultados podemos concluir que a Unidade de Convalescença de Macedo de Cavaleiros teve uma predominância do sexo feminino, sendo que a média de idades foi de 74,35±12,81. A patologia de base mais presente foi a ortopédica, foi a Unidade Hospitalar de Bragança que referenciou mais utentes e o domicílio foi o destino após alta mais comum. Houve uma melhoria significativa na autonomia dos utentes, nas variáveis avaliadas. Discussão e Conclusão: Podemos concluir que os utentes melhoraram a sua autonomia durante a estadia na Unidade de Convalescença de Macedo de Cavaleiros, resultado da filosofia inerente à prática de cuidados diária que se verifica.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/8491
ISBN: 978-972-745-143-2
Versão do Editor: www.essa.ipb.pt
Aparece nas colecções:ESSa - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Autonomia dos utentes de uma unidade de convalescença - resultados preliminares resumo.pdf435,05 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.