Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/8327
Título: Avaliação do conhecimento dos estudantes de enfermagem no âmbito do envelhecimento
Autor: Azevedo, Ana
Fernandes, Adília
Magalhães, Carlos Pires
Antão, Celeste
Anes, Eugénia
Palavras-chave: Conhecimentos
Estudantes
Envelhecimento
Data: 2012
Editora: Escola Superior de Saúde, Instituto Politécnico de Bragança
Citação: Azevedo, Ana; Fernandes, Adília; Magalhães, Carlos Pires; Antão, Celeste; Anes, Eugénia (2012) - Avaliação do conhecimento dos estudantes de enfermagem no âmbito do envelhecimento. In I.º Congresso de Cuidados Continuados da Unidade de Longa Duração e Manutenção de Santa Maria Maior: Dilemas Atuais e Desafios Futuros. Miranda do Douro.
Resumo: O desconhecimento do processo de envelhecimento está na origem de muitos dos estereótipos de cariz negativo. Este é considerado um fenómeno individual, heterogéneo, multidimensional e multidirecional (Baltes, 1987; Birren, 1995; Sánchez & Ulacia, 2005) à semelhança de outras etapas do ciclo vital, nesta podem surgir quer perdas, quer ganhos. Avaliar o conhecimento dos estudantes do 1º ano de enfermagem no âmbito do envelhecimento. - Facultar os resultados à comunidade científica visando a desmistificação de conceções erradas no âmbito da temática. Estudo quantitativo, descritivo e transversal. Através de uma amostragem não probabilística acidental obteve-se uma amostra de 42 estudantes do 1º Ano, 2º Semestre, do Curso de Licenciatura em Enfermagem, de uma Escola Superior de Saúde, no ano letivo 2010/2011. A recolha de dados foi efetuada através de um formulário elaborado para o efeito. Constatou-se que da totalidade da amostra, 35 (83,3%) são do sexo feminino. A idade média da amostra situa-se próximo dos 20 anos. No local de proveniência, 10 (23,8%) dos nossos estudantes residem com idosos. A classificação média alcançada pela nossa amostra no formulário foi de 13 valores, enquadrando-se na categoria “Suficiente”. O valor mínimo obtido foi de 6 valores, o máximo de 18. Verificou-se que 95,2% da amostra respondeu incorretamente à questão 2 “Devido ao processo de envelhecimento natural que ocorre ao nível cerebral, a maior parte das pessoas de idade avançada acaba por apresentar uma perda cognitiva elevada”. Também na questão 3 “As pessoas idosas assemelham-se muito nas suas características físicas”, a maioria da amostra (71,4%) respondeu erradamente. De destacar a não existência de relação significativa no cruzamento das variáveis “sexo” e “residir ou não com idosos no seu local de proveniência” com a pontuação total obtida no formulário. A nossa amostra revelou desconhecimento em determinados conteúdos que se traduzem em estereótipos negativos: - considerou que, em idades avançadas o envelhecimento natural acarreta perda cognitiva elevada. Berger e Mailloux-Poireier (1995), Belsky (2001), entre outros, referem que o envelhecimento natural não produz alterações de relevo a esse nível, salientando-nos que se estas surgem deve-se ao envelhecimento patológico. - considerou que, as pessoas idosas assemelham-se muito nas suas características físicas. Tal consideração nega a variabilidade interindividual e a heterogeneidade que se incrementam com o passar dos anos, e que pode ocorrer mesmo em idades avançadas, como nos salientam Vega e Bueno (2000). Entendemos como forma de colmatar estas lacunas, ser pertinente incluir conteúdos/programas que promovam uma visão positiva acerca do envelhecimento, da velhice e da pessoa idosa.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/8327
Aparece nas colecções:ESSa - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Poster - Avaliação do conhecimento dos estudantes de enfermagem no âmbito do envelhecimento.pdf261,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.