Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/6848
Título: Competências emocionais: uma questão de género?
Autor: Antão, Celeste
Veiga-Branco, Augusta
Palavras-chave: Competência
Emoção
Género
Ensino Superior
Data: 2012
Editora: International Journal of Developmental and Educational Psycology
Citação: Antão, Celeste; Veiga-Branco, Augusta (2012) - Competências emocionais: uma questão de género?. International Journal of Developmental and Educational Psycology. ISSN 0214-9877. 4:1, p. 19-27
Relatório da Série N.º: 1;4
Resumo: Recognizing the relationship between emotional responses, cognitive functioning and learning (Ruthig et al., 2008, 2009; Chung, I., 2010), is the scientific ground to the goals of this research: Firstly, is to know the capacities levels in the Emotional Competence (CE.) profile in students of higher education, and secondly, is to study the differences between genders, in the five capacities levels of their Emotional Competence’s profile. This quantitative and descriptive study, was performed in a probabilistic sample including 438 students of higher education from North Portugal, and the instrument applied was "Escala Veiga de Competência Emocional" (EVCE), developed by Veiga-Branco (2004a, b). Results show that CE profiles have - in this sample of students - some differences on capacities: firstly, 50% of students show a level above “moderate” in the capacities: Self-conscience, Empathy and Emotions Management in Group”. But, more than 50%, present values below “moderate”, in “Emotions Management” and “Self-motivation”. Finally, gender proved to be a moderate variable, as follows: female present a superior level in Self-motivation profile, than male.
Descrição: Fundamentalmente, e em finalidade pretendemos perceber como é que as vivências emocionais actuais poderão deixar perspectivar o desenvolvimento dos processos de formação. Por isso, pretende aceder-se ao nível de Competência Emocional nos cinco domínios distintos, nomeadamente: auto consciência, gestão das emoções, auto motivação, empatia e gestão das emoções em grupo. Através da aplicação de um Instrumento de Recolha de Dados (EVCE), aos estudantes que frequentam um curso numa instituição de ensino superior, localizada no Interior Norte de Portugal, no ano lectivo de 2010-2011, procura-se dar resposta às seguintes questões: 1) Como se apresenta este perfil de C.E. desta amostra de estudantes do ensino superior? 2) Será que podem verificar-se diferenças entre as variáveis preditivas da C.E. entre género, corroborando estudos anteriores, como em Fernandez-Berrocal; Ramos y Extremera (2001), ou como posteriormente em Veiga-Branco, (2004a)? 3) Será que também esta amostra apresentará que as mulheres são melhores que os homens na percepção das emoções, como em Mayer et al., (1999); ou em Morand, (1999), corroborados posteriormente por Fernandez-Berrocal; Ramos y Extremera (2001)? 4) Na perspectiva desta amostra de estudantes qual é o perfil de cada uma das capacidades da C.E.? Será que é igual, independentemente do género do inquirido? 5) Será que também nesta amostra se verifica que a capacidade “Auto motivação” da C.E. apresenta valores diferentes entre género, corroborando Veiga-Branco, (2004a):? 6) Será que o perfil de C.E. destes estudantes, pela vivência de emoções positivas poderá apontar para uma melhor relação com a aprendizagem, refletindo aqui os resultados de Ruthig et al., (2008), e os mais recentes de Maidment, J.; Crisp, B. (2010)?
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6848
ISSN: 0214-9877
Versão do Editor: http://www.infad.eu
Aparece nas colecções:CSG - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
CE - Género.pdf375,66 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.