Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ciências Sociais e Exactas >
CSE - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/937

Título: Cadeia de valor e o sistema de comercialização de castanha da Terra Fria Transmontana
Autor: Matos, Alda
Gerry, Chris
Palavras-chave: Castanha
Terra Fria Transmontana
Comercialização
Issue Date: 2003
Editora: Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais
Citação: Colóquio Hispano-Português de Estudos Rurais. V. Bragança: ESA, 2003
Resumo: Após a derrocada do sector agrícola que viu o valor das importações aumentar com a adesão de Portugal à União Europeia, bem como a estagnação continuada dos rendimentos agrícolas, a castanha foi o produto que, ao contrário dos outros produtos agrícolas, viu o seu preço (e o consumo) aumentar por todo o mundo, passando de “produto de sobrevivência” das populações rurais a “produto de valor acrescentado qualidade”. O aumento da área de plantio, da produção, das exportações, da qualidade e a tendência global para o aumento do consumo deste fruto, foram, entre outros, aspectos a considerar no estudo desenvolvido sobre a cadeia de valor e o sistema de comercialização da mais importante região portuguesa na produção de castanha, nomeadamente a Terra Fria Transmontana. Identificar e distribuir os agentes por vários elos da cadeia de valor, perceber como agem os actores nos distintos elos do sistema de comercialização identificando os problemas comuns e analisar as mais-valias geradas/retidas em cada elo, são, pois, os objectivos desta pesquisa. Pela consulta de fontes documentais e não documentais (entrevistas aos principais agentes de comercialização) e pela adequação da técnica SWOT1 à fileira, concluímos que, na complexa engrenagem do sistema de comercialização de castanha, os agentes se distribuem por vários elos da cadeia de valor incorporando diferentes serviços e funções – desde os produtores, ajuntadores, armazenistas-exportadores (onde se incorporam também as unidades de transformação), “magusteiros” aos “agentes de controlo no destino”. O valor acrescentado obtido internamente é mais comercial do que industrial, onde, em adição aos processos de graduação e desinfecção, se verifica ainda o descasque e a congelação da castanha. Para além destas operações, não ocorre mais nenhuma transformação física da castanha, à qual, mais nenhum valor de laboração é atribuído.
URI: http://hdl.handle.net/10198/937
Appears in Collections:CSE - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Cadeia de Valor e o Sistema de Comercialização de Castanha da Terra Fria Transmontana.pdf292,71 kBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE