Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ciências Sociais e Exactas >
CSE - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/937

Título: Cadeia de valor e o sistema de comercialização de castanha da Terra Fria Transmontana
Autor: Matos, Alda
Gerry, Chris
Palavras-chave: Castanha
Terra Fria Transmontana
Comercialização
Issue Date: 2003
Editora: Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais
Citação: Colóquio Hispano-Português de Estudos Rurais. V. Bragança: ESA, 2003
Resumo: Após a derrocada do sector agrícola que viu o valor das importações aumentar com a adesão de Portugal à União Europeia, bem como a estagnação continuada dos rendimentos agrícolas, a castanha foi o produto que, ao contrário dos outros produtos agrícolas, viu o seu preço (e o consumo) aumentar por todo o mundo, passando de “produto de sobrevivência” das populações rurais a “produto de valor acrescentado qualidade”. O aumento da área de plantio, da produção, das exportações, da qualidade e a tendência global para o aumento do consumo deste fruto, foram, entre outros, aspectos a considerar no estudo desenvolvido sobre a cadeia de valor e o sistema de comercialização da mais importante região portuguesa na produção de castanha, nomeadamente a Terra Fria Transmontana. Identificar e distribuir os agentes por vários elos da cadeia de valor, perceber como agem os actores nos distintos elos do sistema de comercialização identificando os problemas comuns e analisar as mais-valias geradas/retidas em cada elo, são, pois, os objectivos desta pesquisa. Pela consulta de fontes documentais e não documentais (entrevistas aos principais agentes de comercialização) e pela adequação da técnica SWOT1 à fileira, concluímos que, na complexa engrenagem do sistema de comercialização de castanha, os agentes se distribuem por vários elos da cadeia de valor incorporando diferentes serviços e funções – desde os produtores, ajuntadores, armazenistas-exportadores (onde se incorporam também as unidades de transformação), “magusteiros” aos “agentes de controlo no destino”. O valor acrescentado obtido internamente é mais comercial do que industrial, onde, em adição aos processos de graduação e desinfecção, se verifica ainda o descasque e a congelação da castanha. Para além destas operações, não ocorre mais nenhuma transformação física da castanha, à qual, mais nenhum valor de laboração é atribuído.
URI: http://hdl.handle.net/10198/937
Appears in Collections:CSE - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Cadeia de Valor e o Sistema de Comercialização de Castanha da Terra Fria Transmontana.pdf292,71 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia