Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/8494
Título: Comportamento de jovens face ao álcool
Autor: Antão, Celeste
Magalhães, Carlos Pires
Fernandes, Adília
Anes, Eugénia
Palavras-chave: Álcool
Jovens
Comportamentos
Data: 2013
Editora: Escola Superior de Saúde de Bragança e Unidade Local de Saúde do Nordeste
Citação: Antão, Celeste; Magalhães, Carlos Pires; Fernandes, Adília; Anes, Eugénia (2013). Comportamento de jovens face ao álcool. In Jornadas de Enfermagem da Escola Superior de Saúde do IPB. Bragança
Resumo: Não estando definida a fronteira entre o consumo normal e o excessivo, é indiscutível a sua associação entre o álcool e casos de morbil-mortalidade. O consumo de álcool está associado à violência interpessoal, comportamentos de risco e um fator que contribui para comportamento sexual de risco, doenças sexualmente transmissíveis e da infecção pelo HIV (who, 2010). A vida académica é mesclada de acontecimentos e desafios, por isso, momentos de lazer, alegria, euforia e liberdade para serem colocados em ato um conjunto de ações que atingem, com frequência, a borderline do risco (Rebelo e cols, p.28). Realizar uma avaliação diagnóstica das perceções dos estudantes sobre o álcool e estimular a reflexão de forma a confrontar as suas respostas com a realidade científica. Estudo quantitativo, descritivo e transversal. Foi aplicado um questionário a 47 estudantes do ensino superior em sala de aula, previamente à abordagem dos efeitos de substâncias químicas no organismo e os seus efeitos sobre a saúde individual e coletiva com o objetivo de saber qual a sua perceção sobre a temática. A colheita de dados ocorreu no ano letivo 2011/2012. Os estudantes inquiridos tinham idades compreendidas entre os 18 e 28 anos , + _ 19,87. Predomínio do sexo feminino 38 respostas e 10 sexo masculino. Quando questionados se alguma vez se tinham embriagado 83% respondeu afirmativamente e 17% disseram nunca ter acontecido. Dos 47 estudantes, 7 (15%) deles, admitiram já se ter conduzido sob o efeito do álcool. O consumo do álcool foi considerado prejudicial por 81% (38 3studantes), Destes apenas, 6% mencionam que causa dependência, os restantes, mencionam ser um agravo à saúde em geral. A embriaguez está fortemente associada com complicações agudas tais como violência, em particular doméstica, acidentes de viação e outros, podendo igualmente provocar graves problemas crónicos de saúde e sociais (Breda 2010, p.7). O facto de 7 estudantes já terem já conduzido sob o efeito do álcool também é preocupante pois, como afirmam Mello, Barrias e Breda , (2001), o álcool é uma importante causa de morte em acidentes de estrada, sendo a causa direta e principal, em 40 a 50% dos acidentes mortais. Considerando que outros comportamentos de risco estão associados ao consumo desta substância, é necessário cada vez mais reiterar mensagens corretas e adequadas provenientes de âmbitos e setores diferentes de forma a capacitar os jovens para a tomada de decisões responsáveis em prol da sua saúde.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/8494
Versão do Editor: http://www.essa.ipb.pt/portal/page?_pageid=335,283865&_dad=portal&_schema=PORTAL&vid=677&opcao=1
Aparece nas colecções:ESSa - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
COMPORTAMENTO DE JOVENS FACE AO ÁLCOOL Jornadas Bragança.pdf738,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.