Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Saúde >
Departamento de Ciências Sociais e Gerontologia >
CSG - Posters em Encontros Científicos Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/5438

Título: Comportamentos alimentares dos pais... um factor patogénico para os filhos?
Autor: Lucas, C.
Silvestre, Vera
Veiga-Branco, Augusta
Teixeira, D.
Palavras-chave: Índice de massa corporal (IMC)
Pré-obesidade
Comportamento alimentar
Issue Date: 2008
Editora: Ministério da Saúde - Direcção - Geral da Saúde
Citação: Lucas, C.;Teixeira, D. Silvestre, V.; Veiga-Branco, Augusta (2008) - Comportamentos alimentares dos pais... um factor patogénico para os filhos?. In I Congresso Nacional Sobre Estilos de Vida Promotores de Saúde. Viana do Castelo
Resumo: Para melhor compreender esta relação foi desenhado um estudo de carácter transversal, observacional, retrospectivo e quantitativo. Foi aplicado o questionário “Three-factor Eating Questionnaire” (que mede três dimensões do comportamento alimentar parental: desinibição, restrição e fome) depois de adaptado, aos pais de 264 em escolas e infantários do Distrito de Bragança, com idades entre os 2 e os 10 anos (126 rapazes e 138 raparigas), possibilitando uma relação entre a obesidade das crianças e o IMC e comportamentos alimentares dos pais. O índice de massa corporal dos pais foi calculado, de acordo com as recomendações Organização Mundial de Saúde, através da altura e peso auto-declarados e o das crianças (de acordo com as curvas de percentis IMC/Idade desenvolvidas pela National Center for Chronic disease) declarados pelos pais tendo em conta o registo médico mais recente. Resultados: Relativamente aos pais 24,4% apresentam pré-obesidade (IMC entre 25 a 29,9 kg/m2) e 3,5% (IMC ≥ 30 kg/m2) obesidade, sendo que 20,8% das crianças apresentam pré-obesidade e 13,8% obesidade. Os comportamentos desta população são de desinibição, sendo que tem um subtipo ligado ao comportamento alimentar desinibitório, desde o controlado ao extremado, em premeio a amostra apresenta um factor ligado à percepção de fome. No global da análise a amostra não tem ao longo da vida grandes oportunidades de saciedade dentro das comidas que consideram propicias (manjar). O que evidência que a população não tem uma percepção exacta relativamente aos seus comportamentos alimentares. O IMC paternal foi associado com elevados níveis de desinibição Não há relação significativa entre os comportamentos alimentares dos pais e o IMC das crianças.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/5438
Versão do Editor: www.acs.min-saude.pt/.../iestilosvidapromsaude/
Appears in Collections:CSG - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
b. Poster Ktos Alimentares Pais e filhos.pdf2,14 MBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE