Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/10789
Título: Fertilização de pastagens de sequeiro em modo de produção biológico
Autor: Fernández-Núñez, E.
Rodrigues, M.A.
Arrobas, Margarida
Aguiar, Carlos
Cuiña-Cotarelo, R.
Mosquera-Losada, M.R.
Rigueiro-Rodríguez, A.
Moreira, Nuno
Pires, Jaime
Palavras-chave: Fertilização orgânica e mineral
Produção de pastagens
Leguminosas
Nutrientes
Data: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Bragança
Citação: Fernández-Núñez, E.; Rodrigues, M.A.; Arrobas, Margarida; Aguiar, Carlos; Cuiña-Cotarelo, R.; Mosquera-Losada, M.R.; Rigueiro-Rodríguez, A.; Moreira, Nuno; Pires, Jaime (2012) - Fertilização de pastagens de sequeiro em modo de produção biológico. In Fórum CIMO - Ciência e Desenvolvimento 2012. Bragança: Instituto Politécnico de Bragança. p. 79-86. ISBN 978-972-745-146-3
Resumo: O sistema agro-pecuário é o sistema de agricultura dominante nas regiões de montanha do nordeste de Portugal entre os 400 e 1200 m de altitude. O funcionamento deste sistema reside tradicionalmente na produção cerealífera e na produção animal, essencialmente bovinos de raças autótones. Contudo, a descida dos preços dos cereais na última década e o aumento dos preços dos fatores de produção, tem levado a uma diminuição da área de cereal. Trata-se de sistemas de agricultura com reduzidas entradas de fatores de produção externos, e como tal bem adaptados aos princípios do modo de produção em agricultura biológica. A introdução de pastagens de sequeiro baseadas em leguminosas anuais de ressementeira natural, como o trevo subterrâneo, permite voltar a cultivar áreas abandonadas pelo cereal ou substituir o tradicional pousio/alqueive, melhorar a disponibilidade de alimento para os efetivos pecuários e manter uma reduzida entrada de fatores de produção no sistema. Para o efeito considerou-se importante o estudo da fertilização de instalação de pastagens de sequeiro, utilizando fatores de produção permitidos em agricultura biológica, que tem vindo a ser desenvolvido na região de Bragança. As fertilizações compreendem a comparação da aplicação de estrumes, fertilização orgânica, combinada ou não com fertilização mineral. Os principais resultados obtidos permitem concluir que os tratamentos com fertilização orgânica, combinada ou não com fertilização mineral permitem obter i) as maiores produções de pasto, atingindo por exemplo, 3-4 t de MS·ha-1 contra 1-2 t nos tratamentos com fertilização mineral ou sem fertilização ii) as maiores proporções de leguminosas no pasto, 25 a 70%, valores superiores em mais de 20% aos tratamentos com fertilização mineral e iii) os maiores teores de N, P, Mg e Ca. Pode-se concluir que a fertilização orgânica, com recurso a factores de produção internos ao sistema, permite substituir a fertilização mineral na instalação destas culturas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/10789
ISBN: 978-972-745-146-3
Aparece nas colecções:PTV - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Fórum CIMO 2012.pdf264,04 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.