Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Saúde >
Departamento de Tecnologias de Diagnóstico Terapêutica >
DTDT - Posters em Encontros Científicos Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/7619

Título: Perfil fenólico de um extracto de tomilho limão
Autor: Pereira, Olívia R.
Peres, António M.
Domingues, M.R.M.
Cardoso, Susana M.
Palavras-chave: Thymus citriodorus
Caracterização de compostos fenólicos
Quantificação
HPLC-UV
ESI-MSn
Issue Date: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Química
Citação: Pereira, Olívia R.; Peres, António M.; Domingues, Maria R. M.; Cardoso, Susana M.(2011) - Perfil fenólico de um extracto de tomilho limão. In XXII Encontro Nacional da Sociedade Portuguesa de Química. Braga
Resumo: O tomilho limão é uma espécie do género Thymus cultivada na região mediterrânica e utilizada, desde há várias décadas, no tratamento de diversas afecções respiratórias e como agente antiséptico e antifúngico [1]. Este estudo pretende contribuir para um melhor conhecimento da espécie Thymus citriodorus, através da identificação e quantificação dos seus principais compostos fenólicos. O perfil fenólico do extracto etanólico de Thymus citriodorus foi obtido por análise de cromatografia líquida de alta resolução (HPLC/UV) e a estrutura dos compostos foi confirmada por análise de espectrometria de massa com ionização por electrospray (ESI-MSn) em modo negativo, de cada uma das fracções eluídas. A análise de HPLC/UV permitiu obter o cromatograma representado na Fig. 1, onde se indicam as principais fracções (B, D e E), e outras de intensidade moderada (A, C e F). A análise de ESI-MSn das fracções B e D revelou a existência de derivados glicosídicos das flavonas luteolina (MW 448 Da) e apigenina (MW 446 Da), respectivamente. Este último apresentou a fragmentação (m/z 445→269→225,183) na análise por ESI-MSn, pelo que foi identificado como apigenina-7-O-glucuronato. O ácido rosmarínico (MW 540 Da) foi identificado na fracção E, uma vez que o seu tempo de retenção, espectro UV-Vis e fragmentação eram coincidentes com o composto padrão. Ainda, de acordo com os seus perfis de fragmentação, as fracções A, C e F foram identificadas como eriodictiol-O-glucósido, crisoeriol-O-glucósido, e derivado do ácido cafeico, respectivamente. A quantificação destes compostos indica que apresentam as quantidades de 3.7±0.5, 5.8±0.5 e 2.3±0.9 μg/mg extracto, embora as flavonas luteolina-7-O-glucósido (12±2 μg/mg extracto), apigenina-7-O-glucuronato (9±2 μg/mg extracto) e o ácido rosmarínico (10.4±0.6 μg/mg extracto) apareçam como os compostos maioritários na planta.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7619
ISBN: 978-989-8124-08-1
Versão do Editor: www.spq.pt/eventos/xxiienspq/
Appears in Collections:DTDT - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
SPQ2011 Thymus_Poster.pdf1,18 MBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE