Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6499

Título: Bordaduras de bosques de Quercus rotundifolia Lam. no Parque Natural de Montesinho
Autor: Azevedo, João
Caçador, Fernanda
Palavras-chave: Azinheira
Quercus rotundifolia
Bordaduras
Dimensão de manchas
Issue Date: 1999
Editora: Associação Lusitana de Fitolossociogia, ALFA
Citação: Azevedo, João; Caçador, Fernanda (1999) - Bordaduras de bosques de Quercus rotundifolia Lam. no Parque Natural de Montesinho. Quercetea. Quercetea. ISSN 0874-5250. 1, p. 126-137
Relatório da Série N.º: 1;
Resumo: Avaliaram-se variações da vegetação em bordaduras de bosques de azinheira no Parque Natural de Montesinho. Seleccionaram-se 10 manchas de azinhal maduro onde foram estabelecidas 4 linhas de amostragem de 25 m segundo gradientes interior-exterior. Ao longo dessas linhas foram estabelecidos pontos de amostragem a distâncias regulares de 5 m, nos quais foram avaliados: percentagem de coberto, densidade e diâmetro à altura do peito de árvores adultas de azinheira; percentagem de coberto, densidade, e biomassa de plantas arbustivas; riqueza específica e diversidade de espécies arbustivas; e densidade e percentagem de coberto de regeneração natural de azinheira. Calculou-se ainda o contraste florístico e efectuou-se uma análise de “moving split-window” para as variáveis do estrato arbustivo Os resultados indicam a presença de uma zona de transição gradual do interior para o exterior das manchas de extensão consideravel, dentro da qual se observa uma zona de alterações mais acentuadas nas variáveis arbustivas que corresponde à diminuição brusca do número de árvores e da percentagem de coberto de azinheira. Nessa zona verifica-se um aumento da percentagem de coberto, densidade, biomassa e diverisdade do estrato arbustivo. Considerando esta zona como o limite das manchas de azinhal os resultados indicam que bordaduras destes bosques poderão ter uma extensão de 15 a 20 m. Manchas de azinhal deverão ter uma dimensão de 30-40 m de forma a conservarem condições de interior.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6499
ISSN: 0874-5250
Appears in Collections:ARN - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
artigo_orlas_final.pdf3,66 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia