Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6499

Título: Bordaduras de bosques de Quercus rotundifolia Lam. no Parque Natural de Montesinho
Autor: Azevedo, João
Caçador, Fernanda
Palavras-chave: Azinheira
Quercus rotundifolia
Bordaduras
Dimensão de manchas
Issue Date: 1999
Editora: Associação Lusitana de Fitolossociogia, ALFA
Citação: Azevedo, João; Caçador, Fernanda (1999) - Bordaduras de bosques de Quercus rotundifolia Lam. no Parque Natural de Montesinho. Quercetea. Quercetea. ISSN 0874-5250. 1, p. 126-137
Relatório da Série N.º: 1;
Resumo: Avaliaram-se variações da vegetação em bordaduras de bosques de azinheira no Parque Natural de Montesinho. Seleccionaram-se 10 manchas de azinhal maduro onde foram estabelecidas 4 linhas de amostragem de 25 m segundo gradientes interior-exterior. Ao longo dessas linhas foram estabelecidos pontos de amostragem a distâncias regulares de 5 m, nos quais foram avaliados: percentagem de coberto, densidade e diâmetro à altura do peito de árvores adultas de azinheira; percentagem de coberto, densidade, e biomassa de plantas arbustivas; riqueza específica e diversidade de espécies arbustivas; e densidade e percentagem de coberto de regeneração natural de azinheira. Calculou-se ainda o contraste florístico e efectuou-se uma análise de “moving split-window” para as variáveis do estrato arbustivo Os resultados indicam a presença de uma zona de transição gradual do interior para o exterior das manchas de extensão consideravel, dentro da qual se observa uma zona de alterações mais acentuadas nas variáveis arbustivas que corresponde à diminuição brusca do número de árvores e da percentagem de coberto de azinheira. Nessa zona verifica-se um aumento da percentagem de coberto, densidade, biomassa e diverisdade do estrato arbustivo. Considerando esta zona como o limite das manchas de azinhal os resultados indicam que bordaduras destes bosques poderão ter uma extensão de 15 a 20 m. Manchas de azinhal deverão ter uma dimensão de 30-40 m de forma a conservarem condições de interior.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6499
ISSN: 0874-5250
Appears in Collections:ARN - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
artigo_orlas_final.pdf3,66 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia