Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Saúde >
Departamento de Ciências de Enfermagem >
CE - Posters em Encontros Científicos Internacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/5068

Título: Qualidade de vida em hemodiálise: SF-36
Autor: Anes, Eugénia
Palavras-chave: Qualidade de vida
Hemodiálise
SF-36 v2
Issue Date: 2008
Editora: Formasau
Citação: Anes, Eugénia (2008) - Qualidade de vida em hemodiálise: SF-36. In I Forum Internacional :Desafios em Enfermagem. Coimbra
Resumo: Bowling (1995), apresenta uma definição de qualidade de vida relacionada com a saúde, como sendo “o nível óptimo de funcionamento físico, mental, social e de desempenho, incluindo as relações (sociais), percepções da saúde, bom nível de condição física, satisfação com a vida e bem-estar”. A informação dos doentes, referente ao estado funcional, bem-estar e outros conceitos importantes de saúde, deverão ser rotineiramente colhidos de modo a completar lacunas na abordagem diagnostica e terapêutica dos doentes (Ware, 1991). Os objectivos da avaliação da saúde são medir a eficácia das intervenções, avaliar a qualidade dos cuidados de saúde, estimar as necessidades de uma população, melhorar as decisões clínicas e comparar causas e consequências das diferenças de saúde (Bowling, 1995). A insuficiência renal crónica é um doença intrusiva, que provoca drásticas alterações ao nível das actividades da vida diária, sendo uma das doenças mais exigentes. O tratamento, não só deve prolongar a vida do doente, mas também proporcionar um maior grau de reabilitação como uma óptima qualidade de vida. Torna-se assim fundamental a avaliação da qualidade de vida destes doentes, onde é indispensável a participação do enfermeiro. Pretendemos avaliar a percepção da Qualidade de vida relacionada com a saúde em doentes com insuficiência renal crónica em hemodiálise. Foi desenvolvido um estudo transversal e descritivo numa amostra de 154 pessoas com IRC, em hemodiálise, em 2007 – 75,12% da população. Utilizou-se o instrumento de medição Sf-36v2. É visível a relação dos factores sócio-demográficos e clínicos, nos índices de qualidade de vida relacionados com a saúde destes doentes. Verificando-se valores médios de qualidade de vida superiores nos doentes do sexo masculino, nos mais jovens, com maiores habilitações, com companheiro/a, trabalhadores activos, maiores rendimentos, com menos tempo de tratamento, sem outras doenças associadas e com um menor número de complicações. O tratamento da insuficiência renal crónica, não só deve prolongar a vida do doente, mas também proporcionar um maior grau de reabilitação com uma óptima qualidade de vida (Cuadrado, 2001). É imprescindível a introdução da avaliação da qualidade de vida como indicador positivo dos cuidados de saúde. Face à importância desta avaliação, ela deveria fazer parte integrante do processo clínico do doente. São os enfermeiros, os técnicos de eleição nesta abordagem, dado o tipo de relação que estabelecem com os doentes.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/5068
Versão do Editor: www.forumenfermagem.org/index.php?...i-forum-internacional-desafios... enfermagem...
Appears in Collections:CE - Posters em Encontros Científicos Internacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
POSTER Qualidade de vida em hemodiálise SF-36 [Modo de Compatibilidade].pdf109,44 kBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE