Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Saúde >
Departamento de Tecnologias de Diagnóstico Terapêutica >
DTDT - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/493

Título: Administração profiláctica de plasma no síndrome hemolítico urémico atípico recorrente
Autor: Almeida, Marta Pinto de
Faria, Maria Sameiro
Mota, Conceição
Costa, Teresa
Costa, Elísio
Barbot, José
Costa, Elísio
Pereira, Elói
Palavras-chave: Síndrome hemolítico urémico.
Issue Date: 2006
Editora: Publicações Ciência e Vida
Citação: Revista Portuguesa de Nefrologia e Hipertensão. 20:3 (2006) 219-225
Resumo: O síndrome hemolítico urémico (SHU) define- se pela ocorrência simultânea de anemia hemolítica microangiopática, trombocitopenia e insuficiência renal aguda. A forma atípica de SHU, ou SHU não associado à toxina shiga like(SHU-não-Stx), ocorre em 10% dos casos na criança e apresenta prognóstico reservado. Os autores apresentam um caso clínico de uma criança com idade actual de cinco anos e oito meses com SHU atípico esporádico, de aparecimento precoce, aos quatro meses de vida, com carácter multirecidivante (seis recidivas). O doseamento sérico do factor H do complemento, a análise molecular dos genes do factor H (SCR 20 — sequenciação, os 19 restantes SCRs e o promotor —SSCP), e da membrane cofactor protein (SCR 1-4, e os 14 exões), a determinação da actividade de ADAMTS 13 e a pesquisa de inibidores foram normais. A biópsia renal revelou lesões glomerulares difusas com tumefecção das células endoteliais e redução dos lúmens capilares. O estudo ultraestrutural evidenciou extensa duplicação das membranas basais das ansas capilares e ausência de depósitos imunes. A doente apresentou boa resposta ao tratamento profiláctico com plasma, efectuado com intervalos de 3 semanas, com ausência de novas recaídas durante os períodos em que efectuou profilaxia (duração total de profilaxia: dois anos e sete meses). Conclui-se que esta forma de tratamento profiláctico se revelou, neste caso, e até à data, segura e eficaz na prevenção das recorrências, pelo que deve ser tida em consideração no tratamento de casos de SHU com perfil recidivante.
URI: http://hdl.handle.net/10198/493
ISSN: 0872-0169
Appears in Collections:DTDT - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
artigo_nephrol.pdf231,53 kBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE