Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Ciências do Desporto e Educação Física >
DCDEF - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3693

Título: Análise longitudinal das modificações no perfil biomecânico de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo da época desportiva
Autor: Costa, M.J.
Bragada, José A.
Mejias, E.J.
Marinho, D.A.
Louro, H.
Silva, J.
Barbosa, Tiago M.
Palavras-chave: Longitudinal
Nadadores de elite
Índice de nado
Performance
Issue Date: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Biomecânica
Citação: Costa, M.J.; Bragada, José A.; Meijas, E.; Marinho, D.; Louro, H.; Silva, J.; Barbosa, Tiago M. (2011) - Análise longitudinal das modificações no perfil biomecânico de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo da época desportiva. In 4º Congresso Nacional de Biomecânica. Coimbra: Sociedade Portuguesa de Biomecânica. p. 89-94
Resumo: O estudo teve como objectivo analisar as modificações nos pressupostos biomecânicos de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo de uma época desportiva. Foram analisados 10 nadadores portugueses masculinos (4 de nível internacional 6 de nível nacional) em três momentos distintos correspondentes a Dezembro (M1), Março (M2) e Julho (M3) da época desportiva de 2009-2010. Os parâmetros biomecânicos foram obtidos com recurso a um teste incremental de 7 x 200 m Crol em piscina de 50 m. Para ser possível comparar todos os sujeitos à mesma intensidade d esforço, procedeu-se à relativização dos parâmetros biomecânicos segundo a velocidade das 4mmol.L de lactato sanguíneo (V4). Foram determinadas: (i) distância de ciclo (DC); (ii) frequência gestual (FG); (iii) índice de nado (IN) e; (iv) eficiência propulsiva. Em nenhuma das variáveis se verificaram diferenças com significado estatístico ao longo da época desportiva. A comparação entre momentos apenas demonstrou diferenças no IN dos nadadores nacionais de M2 para M3 (INM2 = 3,78 ± 0,26 m2.c-1.s-1; INM3 = 3,88 ± 0,22 m2.c-1.s-1; P = 0,05). Na comparação inter-grupal, a performance dos nadadores internacionais foi significativamente melhor em todos os momentos: M1 (PerfInt: 115,38; PerfNac: 121,43; P=0,03), M2 (PerfInt: 115,85; PerfNac: 121,25; P=0,03) e M3 (PerfInt: 115,18; PerfNac: 121,41; P=0,02). Foram ainda verificados valores perto da significância estatística para o IN em M1 (INInt:4,12, INNac:3,75; P=0,06) e M3 (INInt:4,22, INNac:3,88; P=0,07). Desta forma, parece não se darem modificações significativas no padrão biomecânico de nadadores de elite ao longo da época desportiva. No entanto o IN poderá ser o responsável pela melhoria na performance e determinante na transição de um patamar nacional para um internacional
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3693
Appears in Collections:DCDEF - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ID971.pdf237,1 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia