Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Ciências do Desporto e Educação Física >
DCDEF - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3693

Título: Análise longitudinal das modificações no perfil biomecânico de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo da época desportiva
Autor: Costa, M.J.
Bragada, José A.
Mejias, E.J.
Marinho, D.A.
Louro, H.
Silva, J.
Barbosa, Tiago M.
Palavras-chave: Longitudinal
Nadadores de elite
Índice de nado
Performance
Issue Date: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Biomecânica
Citação: Costa, M.J.; Bragada, José A.; Meijas, E.; Marinho, D.; Louro, H.; Silva, J.; Barbosa, Tiago M. (2011) - Análise longitudinal das modificações no perfil biomecânico de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo da época desportiva. In 4º Congresso Nacional de Biomecânica. Coimbra: Sociedade Portuguesa de Biomecânica. p. 89-94
Resumo: O estudo teve como objectivo analisar as modificações nos pressupostos biomecânicos de nadadores de elite e o seu impacto na performance ao longo de uma época desportiva. Foram analisados 10 nadadores portugueses masculinos (4 de nível internacional 6 de nível nacional) em três momentos distintos correspondentes a Dezembro (M1), Março (M2) e Julho (M3) da época desportiva de 2009-2010. Os parâmetros biomecânicos foram obtidos com recurso a um teste incremental de 7 x 200 m Crol em piscina de 50 m. Para ser possível comparar todos os sujeitos à mesma intensidade d esforço, procedeu-se à relativização dos parâmetros biomecânicos segundo a velocidade das 4mmol.L de lactato sanguíneo (V4). Foram determinadas: (i) distância de ciclo (DC); (ii) frequência gestual (FG); (iii) índice de nado (IN) e; (iv) eficiência propulsiva. Em nenhuma das variáveis se verificaram diferenças com significado estatístico ao longo da época desportiva. A comparação entre momentos apenas demonstrou diferenças no IN dos nadadores nacionais de M2 para M3 (INM2 = 3,78 ± 0,26 m2.c-1.s-1; INM3 = 3,88 ± 0,22 m2.c-1.s-1; P = 0,05). Na comparação inter-grupal, a performance dos nadadores internacionais foi significativamente melhor em todos os momentos: M1 (PerfInt: 115,38; PerfNac: 121,43; P=0,03), M2 (PerfInt: 115,85; PerfNac: 121,25; P=0,03) e M3 (PerfInt: 115,18; PerfNac: 121,41; P=0,02). Foram ainda verificados valores perto da significância estatística para o IN em M1 (INInt:4,12, INNac:3,75; P=0,06) e M3 (INInt:4,22, INNac:3,88; P=0,07). Desta forma, parece não se darem modificações significativas no padrão biomecânico de nadadores de elite ao longo da época desportiva. No entanto o IN poderá ser o responsável pela melhoria na performance e determinante na transição de um patamar nacional para um internacional
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3693
Appears in Collections:DCDEF - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ID971.pdf237,1 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE