Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Tecnologia e Gestão >
Teses de Mestrado >
GO - Gestão das Organizações >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3612

Título: Qualidade de vida relacionada com a saúde: a perspectiva dos utentes que frequentam os Centros de Saúde do ACES Trás-os-Montes I Nordeste
Autor: Praça, Maria Isabel Fernandes
Orientador: Brás, Manuel
Anes, Eugénia
Palavras-chave: Saúde
Doença
Estado de saúde
Qualidade de vida relacionada com a saúde
Issue Date: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Tecnologia e Gestão
Citação: Praça, Maria Isabel Fernandes (2012) - Qualidade de vida relacionada com a saúde: a perspectiva dos utentes que frequentam os Centros de Saúde do ACES Trás-os-Montes I Nordeste. Bragança: Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Dissertação de Mestrado em Gestão das Organizações, Ramo da Saúde
Resumo: Este estudo pretende avaliar a percepção da qualidade de vida relacionada com a saúde, numa amostra constituida por 1111 utentes, maiores de 18 anos, inscritos nos Centros de Saúde do ACES Trás-os-Montes I – Nordeste. Realizamos um estudo não experimental, analítico e transversal, desenvolvido com uma abordagem quantitativa, utilizando um instrumento genérico de avaliação da Qualidade de Vida - SF 36. A amostra é maioritáriamente do sexo feminino (71,4%) e a idade oscila entre 18 e 90 anos, com média de 47,6 e desvio padrão de 18,5 anos. A maioria é casada (61,8%) e 21,8% são solteiros. Quanto à escolaridade 32,0% possui o ensino básico, 14,8% não têm qualquer habilitação académica. A maior parte reside em zonas urbanas (57,4%). Profissionalmente activos 59,7%, dos quais, o grupo profissional mais frequente é pessoal dos serviços e vendedores (23,6%), 11,9% estão desempregados e 28,5% estão reformados. Têm baixos rendimentos familiares, a maioria dos utentes inferiores a 1000€, 32,7% menores que 500€. 37,69%dos inquiridos refere realizar quatro refeições dia, a maioria não pratica exercício físico (63,5%). A maioria dos inquiridos (73,0%) não consome bebidas alcoólicas e não tem hábitos tabágicos (85,0%). Mais de metade da amostra (52,0%) referem ter problemas de saúde. Os resultados demonstram um impacto negativo de algumas variáveis sociodemográficas ao nível da percepção da qualidade de vida, mais concretamente o sexo, a idade, o estado civil, a escolaridade, o grupo profissional e situação profissional, o rendimento familiar e a actividade física. A maioria dos inquiridos (51,7%) apresenta índices de qualidade de vida elevados. Numa análise dimensional os inquiridos apresentam maiores pontuações na dimensão funcionamento físico (74,9) e desempenho emocional (71,7). É reconhecida a importância deste indicador quer ao nível da decisão clínica quer ao nível da gestão dos cuidados. Sugere-se a sua utilização, como indicador de excelência na prestação/gestão dos cuidados de saúde. This study aims to evaluate the perception of the health-related quality of life in a sample of 1111 individuals over 18 years old followed in the health units of the ACES Alto Trás-os-Montes I - Nordeste. The author conducted an observational study, cross-sectional analysis, with a quantitative approach, using a generic instrument of quality of life evaluation – SF-36 v2. The sample is mostly composed of women (71,4%). Age range between 18 and 90 years old, with median age of 47,6 and standard deviation of 18,5 years. Individuals are mostly married (61,8%) and 21,8% are single. Referring to schooling, 32% has basic education and 14,8% have none academic education. The majority lives in urban areas (57,4%). Professionally actives are 59,7%, from which the most common group is services staff and salesman (23,6%), while 11,9% are unemployed and 28,5% are retired. Most of the sample individuals have family incoming wages lower than 1000€, 32,7% of which lower than 500€. More than one third of the inquired (37,69%) refer having four meals a day, and most of them have no physical activity. Most of the inquired (73,0%) does not drink alcohol and have no smoking habits. More than half of the sample (52%) refers having at least one health condition. Obtained results demonstrate a negative impact of some demographic variables related to the perception of the quality of life, more specifically sex, age, marital status, academic habilitations, professional group and status, family income and physical activity. Most of the inquired (51,7%) show high quality of life standards. In a dimensional analysis, inquired individuals present higher scores in the physical functioning dimension (74,9) and emotional performance (71,7). The value of this marker is acknowledged referring to clinical decision and care management. The author suggests its use as an excellence marker in health care providing/management. Este estudio pretende evaluar la percepción de la calidad de vida relacionada con la salud en una muestra formada por 1111 pacientes, inscritos en los Centros de Salud del ACES de Trás-os- Montes I, Nordeste. Se trata de un estudio no experimental, analítico, transversal y cuantitativo, el instrumento de evaluación para la obtención de los datos fue ―Calidad de Vida-SF 36‖. La muestra está formada en su mayoria por mujeres (71,4%) y la edad está comprendida entre los 18 y 90 años, con una media de 47,6 y un desvio padrón de 18,5 años. La mayoria son casados (61,8%) y 21,8% son solteros. En relación a los estudios el 32,0% acabaron la educación secundaria obligatoria (ESO), el 14,8% no tienen estudios. La mayor parte vive en zona urbana (57,4%). El 59,7% de los participantes del estudio se encuentran en activo, el sector profesional más frecuente es el de servicios y vendedores (23,6%); el 11,9% están desempleados y el 28,5% son jubilados. Los participantes dicen tener rendimientos familiares bajos, la mayoria inferiores a 1000€; en el 32,7% son inferiores a 500 €. El 37,69% de los participantes refieren realizar 4 comidas por dia, la mayoria no practica ejercicio fisico. El 73,0% no consumen bebidas alcoholicas y no fuman. Más de la mitad de la muestra (52,0%) dicen tener problemas de salud. Los resultados demuestran un impacto negativo de algunas variables socio demográficas en relación a la percepción de la calidad de vida, en concreto: sexo, edad, estado civil, estudios, grupo profesional, situación profesional, rendimiento familiar y la actividad física. La mayoría (51,7%) presenta índices de calidad de vida elevados. En un análisis dimensional los participantes del estudio presentan mayores puntuaciones en la dimensión funcionamiento físico (74,9%) y desempeño emocional (71,7%). Se reconoce la importancia de este indicador tanto a nivel de la decisión clínica, como a nivel de la gestión de los cuidados. Se sugiere su utilización como indicador de excelencia en la prestación/gestión de los cuidados de salud.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3612
Versão do Editor: http://hdl.handle.net/10198/2557
Appears in Collections:GO - Gestão das Organizações

Files in This Item:

File Description SizeFormat
tese final Fevereiro.pdf2,92 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE