Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Educação Musical >
DEM - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3452

Título: A magia da dialogia: o Kola San Jon no Kova M
Autor: Miguel, Ana Flávia
Meersschaert, Godelieve
Delgado, Eunice
Rosário, António
Palavras-chave: Práticas dialógicas em Etnomusicologia
Música
Kola San Jon
Kova M
Issue Date: 2010
Citação: Miguel, Ana Flávia; Meersschaert, Godelieve; Delgado, Eunice; Rosário, António (2010) - A magia da dialogia: o Kola San Jon no Kova M. In Congresso SIBE+ "Músicas e Saberes em Trânsito". Lisboa: Reitoria da Universidade Nova de Lisboa. p. 33-34
Resumo: O conceito de dialogia tem ocupado um lugar complexo e multi-situado nos estudos antropológicos e etnomusicológicos. No discurso académico, monológico por definição, o investigador disputa um diálogo solitário entre o trabalho de campo e a escrita, entre o seu universo de estudo e outros universos de estudo ao convocar outros teóricos. Este trabalho já é, em si, dialógico no sentido em que diferentes discursos são confrontados e constituem um ponto de partida. Mas, o centro vital do pensamento dialógico, célula a partir da qual as narrativas ganham voz e onde todas as construções de tecidos e de relações são realizadas é o trabalho de campo. O conceito de dialogia, proposto por Bakhtin (1981), e adoptado pelas ciências sociais e humanas passou rapidamente para a esfera etnomusicológica onde algumas metáforas musicais bakhtianas parecem transformar-se em metonímias; em Bakhtin, a metáfora “polifonia” é usada para salientar a diversidade de vozes existente num texto. Em Etnomusicologia, a tradição dialógica bakhtiana parece ter ganho um novo terreno e uma nova direcção em projectos como o que o Laboratório de Etnomusicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro desenvolveu no Complexo da Maré. A presente proposta procura partilhar uma experiência de trabalho de campo desenvolvido no Bairro do Alto da Cova da Moura (Kova M), em Lisboa, a partir do estudo sobre o género musical Kola San Jon e outros comportamentos expressivos a ele associados. No Kova M, a narrativa é cantada a várias vozes, numa “polifonia” complexa e colorida. O Kola San Jon, prática expressiva e performativa cabo-verdiana, semeia pontes identitárias com Cabo Verde assim como a presença de uma líder na diáspora transporta os imigrantes para um espaço e para ligações efectivamente lusófonas. Neste contexto cultural, a multiplicidade de retóricas existentes reclamam uma representação da diversidade de diálogos e de memórias; tudo isto se consegue através da música. E a etnomusicóloga congrega de alguma forma a garantia desse percurso simbólico em que a música parece ser a chave para a identidade e acrescenta, embora validada pelo terreno, a sua própria narrativa. É sobre esta experiência de trabalho desenvolvido em clara dialogia entre Janeiro de 2008 e Julho de 2009 que a nossa proposta de comunicação se inscreve.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3452
Appears in Collections:DEM - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
abstract.pdf2,49 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia