Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/14716
Título: Azeite biológico: da produção ao consumo
Autor: Cabo, Paula
Matos, Alda
Fernandes, António
Ribeiro, Maria Isabel
Palavras-chave: Azeite
Modo de produção biológico
Produção
Consumo
Data: 2017
Editora: Instituto Politécnico da Guarda
Citação: Cabo, Paula; Matos, Alada; Fernandes, António; Ribeiro, Maria Isabel (2017). Azeite biológico: da produção ao consumo. Revista Egitania Sciencia. ISSN 1646-8848. 20:2, p. 95-113
Resumo: A agricultura em Modo de Produção Biológico – MPB constitui uma atividade com elevado potencial, assumindo-se cada vez mais como uma oportunidade para o setor agrícola. O olival é uma das culturas com maior implantação no MPB, contudo, apesar da sua importância histórica, na última década, a área decresceu, o mercado nacional é ainda reduzido e a quebra verificada nos preços afeta a atratividade do setor. Este trabalho visa contribuir para o desenvolvimento da olivicultura em MPB em Portugal. Para tal, analisa a produção e consumo de azeite biológico, com base em dados estatísticos e informação primária, obtida através de um questionário aplicado a uma amostra não-probabilística de potenciais consumidores residentes na cidade de Bragança. A agricultura em MPB representa, atualmente, cerca de 6% da Superfície Agrícola Útil – SAU, sendo que, em 2014, a olivicultura em MPB ocupava 19 000 hectares, distribuídos por 1 400 produtores. O Alentejo é a região onde se encontra a maior área de olival biológico (44% da área e 25% dos agricultores) e Trás-os-Montes é a região com o maior número de operadores (32% da área e 39% dos agricultores). Na última década, apesar do crescimento de cerca de 84% do número de operadores, a área total dedicada ao olival em MPB decresceu cerca de 16%. A análise do consumo salienta que existe, ainda, grande potencial de crescimento para este tipo de produtos. Os resultados revelam que a maioria dos inquiridos não é consumidora de azeite biológico, embora grande parte pretenda vir a sê-lo. Adicionalmente, a esmagadora maioria (84,2%) considera que a procura deste produto aumentaria se o preço fosse menor. O estudo do comportamento do consumidor revela ainda que o fator saúde prepondera sobre o fator ecológico. Assim, na comunicação com o consumidor, os agentes da fileira deverão apostar nos benefícios para a saúde do consumo deste produto e no desenvolvimento de uma maior consciência ecológica dos consumidores.
Organic farming is an activity with high potential, more and more seen as an opportunity for the Portuguese agricultural sector. Olive cultivation is the crop with the greatest deployment in organic farming. However, in spite of its historical importance, in the last decade, the area occupied by olive orchards has decreased, the domestic market of organic olive oil is still small and the decrease in prices affects the sector's attractiveness. This study aims to contribute to the development of organic olive cultivation in Portugal. To this end, it analyzes the farming and consumption of organic olive oil, based on statistical data and primary information, obtained through a questionnaire applied to a non-probabilistic sample of potential consumers living in the city of Bragança. Organic farming currently represents about 6% of the agricultural area, and in 2014, organic olive orchards occupied around 19,000 hectares, spread over 1,400 producers. Alentejo is the main production region of organic olive oil (44% of the occupied area and 25% of farmers) while the Trás-os- Montes region has the largest number of operators (32% of the area and 39% of farmers). In the last decade, the area occupied by organic olive orchards decreased approximately 16%, in spite of the extraordinary growth of the number of operators (around 84%). The analysis of consumption indicates that there is still great potential for growth for this kind of product. The results reveal that the majority of respondents are not consumers of organic olive oil, although most of them intend to become one in the future. Additionally, the overwhelming majority (84.2%) believe that demand for this product would increase if the price were lower. The consumer behaviour study also shows that the health factor outweighs the ecological factor. Thus, in communication with the consumer, producers involved in the sector should bet on the health benefits of consumption of this product and the development of increased environmental awareness of consumers.
La agricultura en la producción orgánica (PO) es una actividad con alto potencial, asumiéndose cada vez más como una oportunidad para el sector agrícola. El olivar es uno de los cultivos con mayor despliegue en PO, sin embargo, a pesar de su importancia histórica en la última década, el área ha disminuido, el mercado interno sigue siendo pequeño y la disminución de los precios afecta el atractivo del sector. Este trabajo tiene como objetivo contribuir al desarrollo del cultivo del olivo en PO en Portugal. Con este objetivo, se ha analizado la producción y el consumo de aceite de oliva orgánico, basado en datos estadísticos e información primaria, obtenidos a través de un cuestionario aplicado a una muestra non-probabilística de potenciales consumidores que residen en la ciudad de Bragança. Actualmente, la agricultura en PO representa alrededor del 6% de la superficie agrícola y, en 2014, el cultivo del olivo en PO ocupaba 19.000 hectáreas, repartidas en 1.400 productores. Alentejo es la región con la mayor área de olivo orgánico (44% de la superficie y el 25% de los agricultores) y la región de Trás-os-Montes, con el mayor número de operadores (32% de la superficie y el 39% de los agricultores). En la última década, a pesar del crecimiento de aproximadamente el 84% del número de operadores, la superficie total dedicada al olivar en PO se redujo en un 16%. El análisis del consumo señala que, todavía, hay un gran potencial de crecimiento para este tipo de productos. Los resultados revelan que la mayoría de los encuestados no es un consumidor de aceite de oliva orgánico, aunque muchos quieren serlo. Además, la gran mayoría (84,2%) cree que la demanda de este producto se incrementaría si el precio fuera inferior. El estudio del comportamiento del consumidor también muestra que el factor de la salud es más importante que el factor ecológico. Por lo tanto, en comunicación con el consumidor, los agentes de la hilera deben apostar a los beneficios para la salud del consumo de este producto y el desarrollo de una mayor conciencia ambiental de los consumidores
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/14716
ISSN: 1646-8848
Aparece nas colecções:CIMO - Artigos em Revistas Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
azeite biológico.pdf1,3 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.