Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Ciências do Desporto e Educação Física >
DCDEF - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6357

Título: Comparison of young swimmer’s active drag coefficient using three methods to compute trunk transverse surface area
Autor: Morais, J.E.
Costa, M.J.
Moreira, M.
Barbosa, Tiago M.
Palavras-chave: Natação
Hidrodinâmica
Antropometria
Arrasto
Issue Date: 2011
Editora: Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano
Citação: Morais, J.E.; Costa, M.J.; Moreira, M.; Barbosa, Tiago M. (2011) - Comparison of young swimmer’s active drag coefficient using three methods to compute trunk transverse surface area. Motricidade. ISSN 1646-107X. 8:S1, p. 19-26
Relatório da Série N.º: 8 (S1);
Resumo: Foi objectivo deste estudo comparar o coeficiente de arrasto activo, calculado com recurso a três formas distintas de medição da\área de secção transversa do tronco (ASTI). A amostra foi composta por 23 sujeitos. entre os quais 12 ~o sexo masculino e 11 do sexo feminino. Foi utilizado o método de perturbação de velocidade de Kolmogorov para calcular o arrasto activo e respectivo coeficiente de arrasto. O cálculo do coeficiente de arrasto foi efectuado de três formas distintas: i) com recurso à ASTI medida através de fotogrametria; ii) com recurso ASTI estimada a partir das equações de Morais et alo (2011); e iii) com recurso à ASTI estimada através da equação de Clarys. Foram utilizados três procedimentos no processo de comparação: i) comparação de valores médios; ii) análise de regressão linear simples; e iH) plot de Bland Altman. Todos os pares estudados apresentaram diferenças significativas (p < .001) na comparação de valores médios. No entanto, as análises de regressão lineares simples entre os pares estudados, registaram correlações significativas (p < .001), e o plot de Bland Altman, para todas as condições estudadas, registou mais de 80% dos plots dentro do intervalo de confiança de 95 %. Constatou-se que as equações de Morais et alo foram aquelas que apresentaram menor diferença (13.81 ± 9.24%), comparativamente com a de Clarys (26.87 ± 5.61 %) em relação aos valores de ASIT medidos. Sugere-se assim a aplicação destas equações para a estimação da ASTI.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6357
ISSN: 1646-107X
Appears in Collections:DCDEF - Artigos em Revistas Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
area de secção transversa.pdf671,73 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia