Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Supervisão da Prática Pedagógica, Educação Infantil e Professores 1º Ciclo >
DSPP - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3632

Título: Arte & Matemática: “há linhas que são monstros…”
Autor: Mesquita, Elza da Conceição
Palavras-chave: Arte
Matemática
Issue Date: 2008
Editora: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação
Citação: Mesquita, Elza da Conceição (2008) - Arte & Matemática: “há linhas que são monstros…”. In BragançaMat2008. Macedo de Cavaleiros
Resumo: Na comunicação parte-se dos conceitos que se consideram básicos para a compreensão da complementaridade arte/matemática, começando pelo posicionamento face às propriedades geométricas da linha, às três cores primárias e à forma como estas, através de um processo de proporção da quantidade, originam outras cores. Observando-se, também, e em contraponto com as designadas cores, o equilíbrio e o contraste que se podem criar com as “não cores”, nomeadamente o preto e o branco. Assim, a partir de conceitos simples imprimir-se-á alguma complexidade na abordagem Arte & Matemática, fazendo uma incursão sobre aspectos que permitam perceber a importância da correlação entre ambas, aparentemente tidas como duas realidades distintas, ou dois elementos independentes. O tema proposto pela APM no presente ano vem dar azo a um trabalho de participação activa da criança na sua aprendizagem, onde o contar pelo saber contar, pertencente à velha (nova) máxima ler, escrever e contar poderá, paulatinamente, deixar de fazer parte do quotidiano das escolas portuguesas. Se nas artes a atenção se dirige para questões da praxis, nomeadamente as relacionadas com a perspectiva, a proporção no espaço, o volume, o equilíbrio, a bi e tridimensionalidade e, ainda, a composição harmónica envolvendo a cor, o contraste e a forma não podemos separar ou diferençar linhas de trabalho e de interesse entre a Arte e a Matemática. Não se pretende defender que cada área curricular deva ter uma única individualidade, mas que se encontre um equilíbrio adequado, para que não haja isolamentos indevidos. Nesta conferência, para enfatizar os conceitos de uma forma integrada apresentar-se-á, também, algum do trabalho de Escher, com a intenção de ajudar a compreender o processo dialéctico Arte/Matemática.
Arbitragem científica: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/3632
Appears in Collections:DSPP - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Elza Resumo[1].pdf50,14 kBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE