Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/5305

Título: Conservação de recursos piscícolas em rios do Norte de Portugal: quais os impactos dos repovoamentos de truta nas populações selvagens?
Autor: Teixeira, A.
Cortes, R.
Rodrigues, R.
Palavras-chave: Truta
Repovoamento
Habitat
Dieta
Movimento
Issue Date: 2008
Citação: Teixeira, A.; Cortes, R.; Rodrigues, R. (2008) - Conservação de recursos piscícolas em rios do Norte de Portugal: quais os impactos dos repovoamentos de truta nas populações selvagens? In II Congresso da Fauna Selvagem WAVES. Mogadouro
Resumo: A truta de rio (Salmo trutta L.) é reconhecidamente uma espécie com elevado interesse para a pesca desportiva no Norte e Centro de Portugal, constituindo um recurso económico valioso. O aumento do número de licenças de pesca nas últimas décadas (a partir de 2000 superou as 250 000 licenças, DGRF) é o reflexo de uma demanda crescente dos recursos pesqueiros dulçaquícolas por parte dos pescadores. Tal facto, tem sido motivo de apreensão relativamente à ameaça que algumas populações selvagens de truta estão sujeitas, não só pela sobrepesca mas também pelo efeito acumulado resultante da destruição do habitat, poluição da água, regularização de rios e introdução de espécies exóticas em cursos de água de aptidão salmonícola. Estudos recentes de monitorização de repovoamentos de truta (Salmo trutta L.) em cursos de água do Nordeste de Portugal, nomeadamente nos rios Baceiro e Sabor, demonstraram a existência de estratégias diferenciadas no uso de recursos disponíveis entre as trutas nativas e domésticas. Relativamente ao uso do habitat, foram usados métodos de observação sub-aquática e de PIT-telemetria (passiva) que permitiram detectar uma sobreposição muito baixa entre ambas as populações. As trutas domésticas, contrariamente à maioria das suas congéneres nativas, ocuparam preferencialmente microhabitats mais profundos, sem cobertura (refúgio), com posições focais mais elevadas e menores velocidades da corrente. Ao nível dos padrões de alimentação foram também encontrados comportamentos muito distintos, com excepção da sobreposição evidente na dieta das trutas domésticas e das trutas nativas dominantes. Os potenciais impactos negativos dos repovoamentos sobre as populações autóctones, referidos noutros trabalhos, apareceram desvanecidos e limitados em termos espaciais e temporais, como confirma a monitorização dos movimentos dos peixes, através de métodos de rádio-telemetria e marcação-recaptura, onde foi registada uma elevada dispersão, maioritariamente no sentido de jusante, dos peixes introduzidos. Foram vários os factores que contribuíram para a baixa eficácia dos repovoamentos, entre os quais se destaca a rápida diminuição da condição do peixe, a variação dos parâmetros hidrológicos, em especial o aumento dos caudais fluviais, e ainda a vulnerabilidade à predação pela lontra.
URI: http://hdl.handle.net/10198/5305
Appears in Collections:ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2008 Resumo A.Teixeira Mogadouro Waves.pdf10,11 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE