Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/4723

Título: Coexistência de duas espécies exóticas de lagostins (Pacifastacus leniusculus e Procambarus clarkii) na bacia hidrográfica do rio Sabor (NE Portugal)
Autor: Costa, A.M.
Bruxelas, S.
Bernardo, J.M.
Teixeira, Amílcar
Palavras-chave: Distribuição
Coexistência
Procambarus clarkii
Pacifastacus leniusculus
Nordeste de Portugal
Issue Date: 2010
Editora: Universidade dos Açores
Citação: Costa, A.M.; Bruxelas, S.;L Bernardo, J.M.; Teixeira, A. (2010) - Coexistência de duas espécies exóticas de lagostins (Pacifastacus Leniusculus e Procambarus Clarkii) na bacia hidrográfica do rio Sabor (NE Portugal). In XV Congresso da Associação Ibérica de Limnologia. Ponta Delgada
Resumo: Em Portugal existia uma única espécie europeia de lagostim de água doce, Austropotamobius pallipes, o lagostim-de-patas-brancas, que se considera actualmente extinta no país. No nordeste de Portugal continental onde anteriormente ocorria esta espécie, os cursos de água estão actualmente a ser colonizados por duas espécies de lagostins norte americanos. Na década de 70, proveniente de Espanha onde foi intencionalmente introduzido, o lagostim-vermelho-da-Luisiana, Procambarus clarkii, colonizou rapidamente os rios do sul de Portugal, propagando-se depois por todas as massas hídricas do país. Em 1994, as autoridades espanholas introduziram uma outra espécie, o lagostim sinal, Pacifastacus leniusculus, na província de Zamora, que foi detectada em Portugal, no rio Maçãs (Bacia do Sabor) três anos depois. A propagação e evolução das populações destas espécies no rio Maçãs têm sido seguidas anualmente desde 2000. P. clarkii, espécie sub-tropical, nunca atingiu neste curso abundâncias muito elevados. Pelo contrário, P. leniusculus, espécie de águas mais frias, apresenta valores mais elevados, cerca de seis vezes superiores aos de P.clarkii. O lagostim sinal encontra-se bem adaptado, continuando a sua expansão neste rio e prevendo-se que venha a colonizar outras massas hídricas adjacentes. A expansão do lagostim vermelho de jusante para montante parece ser menos efectiva, não tendo, desde 2005, sido observado em novos locais deste rio. A coexistência das duas espécies verifica-se actualmente num troço fluvial de cerca de 45 km de extensão, apesar das diferenças notórias ao nível das características dos seus habitats.
URI: http://hdl.handle.net/10198/4723
Appears in Collections:ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Costa et al. 2010 Poster lagostins Congresso Açores.pdf48,77 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia