Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/4549
Title: Carbono e azoto nos horizontes orgânicos e minerais dos solos desenvolvidos sob quatro espécies florestais
Authors: Fonseca, Felícia
Martins, Afonso
Figueiredo, Tomás de
Keywords: Carbono
Azoto
Horizontes orgânicos e minerais do solo
Espécies florestais
Issue Date: 2009
Publisher: SPCS
Citation: Fonseca, Felícia; Martins, Afonso; Figueiredo, Tomás (2009) - Carbono e azoto nos horizontes orgânicos e minerais dos solos desenvolvidos sob quatro espécies florestais. In Encontro Anual da Sociedade Portuguesa de Ciência do Solo. Faro
Abstract: Os horizontes orgânicos e minerais dos solos florestais apresentam elevada importância no armazenamento de C e N. No entanto, o conhecimento dos efeitos das espécies florestais na retenção destes elementos é ainda escasso, principalmente em Portugal. Com o propósito de contribuir para este conhecimento realizou-se um estudo em povoamentos de quatro espécies florestais instalados na década de 30 na vertente poente da Serra da Padrela, próximo de Vila Pouca de Aguiar. Duas das espécies apresentam elevada representação na região Norte do país, Castanea sativa Miller (CS) e Pinus pinaster Aiton (PP) e duas, embora com menor representatividade, evidenciam interesse silvícola, Pseudotsuga menziesii (Mirb.) Franco (PM) e Pinus nigra Arnold (PN). Na selecção das áreas de amostragem, procuraram-se características semelhantes no que toca a topografia, litologia e clima, de modo a reduzir o efeito de outras variáveis e a melhor identificar as possíveis diferenças no armazenamento de C e N devidas à espécie florestal. Em cada povoamento, foram seleccionados 15 locais ao acaso e colhido o material orgânico (horizonte orgânico) numa área de 0,49 m2 por local. A colheita do horizonte orgânico obedeceu a critérios morfológicos tendo sido separado nas camadas L, F e H. As camadas L e F, por sua vez, foram separadas em três fracções: agulhas ou folhas, pinhas ou ouriços e ramos. Nos mesmos locais foram ainda colhidas amostras de solo nas profundidades 0-10 e 10-20 cm. Também nestas profundidades colheram-se amostras não perturbadas para determinação da densidade aparente. As concentrações de C e N foram determinadas em todas as amostras (horizontes orgânicos e minerais) e convertidas em massa por unidade de área. A massa de C por unidade de área segue a sequência PN > PM > CS > PP, mantendo as espécies PM e PP a mesma tendência para o N que segue a sequência CS > PM > PN > PP. As espécies PM e CS armazenam quantidades idênticas de C e N, sendo que cerca de 90% da quantidade destes elementos se encontra no solo. No caso das espécies PN e PP o contributo dos horizontes orgânicos na retenção destes elementos é mais expressivo do que nas restantes mas sempre inferior a 30%.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/4549
Appears in Collections:ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ResumoFaro Fonseca et al. (2009).pdf420,1 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.