Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/15538
Título: Efeito de leguminosas pratenses usadas como sideração na cultura do milho
Autor: Viegas, Rosalino
Arrobas, Margarida
Rodrigues, M.A.
Palavras-chave: Trifolium subterraneum
Trífolíum incarnatum
Zea mays
Adubação verde
Milho
Data: 2017
Citação: Viegas, Rosalino; Arrobas, Margarida; Rodrigues, M.A. (2017). Efeito de leguminosas pratenses usadas como sideração na cultura do milho. In VIII Congresso Ibérico de Ciências Hortícolas. Coimbra. ISBN 978-972-8936-27-3
Resumo: Um dos papéis importantes das leguminosas nos sistemas de cultivo é o seu uso como adubo verde ou sideração. Em regiões do globo com menor possibilidade de se investir em fertilizantes de síntese industrial ou em sistemas de agricultura menos intensivos como a agricultura biológica, as leguminosas podem ter um papel decisivo no aporte de azoto ao sistema. Neste trabalho reportam-se resultados de um estudo realizado em Bragança onde duas leguminosas pratenses foram cultivadas durante o inverno para serem incorporadas no solo na Primavera seguinte e servirem de suporte ao cultivo do milho. A experiência incluiu ainda uma modalidade testemunha constituída pela vegetação espontânea. As leguminosas utilizadas foram trevo-subterrâneo [Trifolíum subterraneum, cv Losa) e trevo-encarnado (Trifolium incarnatum, cv Contea). A sementeira foi feita em campo no dia 25 de setembro. Na Primavera seguinte, em 25 de maio, amostras de plantas e solo até uma profundidade 0- 20 cm foram colhidas e misturadas convenientemente. As misturas foram transferidas para vasos de 3 L, tendo sido constituídas 10 repetições de cada tratamento. Em l de junho foi semeado o milho nos vasos e mantido até 21 de julho com rega regular, data a partir da qual as plantas de milho foram cortadas, secas em estufa, pesadas e analisadas para a composição elementar. O trevo-encarnado produziu mais matéria seca, mas o azoto contido na parte aérea na colheita foi equivalente entre trevo-encarnado e trevo-subterrâneo e com diferenças significativas para a vegetação espontânea (a quantidade de N nos tecidos era pouco mais de 1/3 da que se registava nas leguminosas). O milho cultivado nos vasos preparados com a sideração dos trevos atingiu valores de matéria seca superiores a 30 g por vaso, enquanto na modalidade testemunha foi inferior a 15 g. Nas modalidades com sideraçâo de leguminosas, as plantas de milho recuperaram aproximadamente 300 mg de N por vaso enquanto na modalidade testemunha o valor foi de 115 mg de N por vaso. Os resultados parecem mostrar de forma inequívoca o elevado valor fertilizante das leguminosas quando usadas com sideração.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/15538
ISBN: 978-972-8936-27-3
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
artigos-1.pdf1,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.