Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/9544
Título: O nível de stresse nos enfermeiros: a realidade das unidades de cuidados continuados dos distritos de Bragança e Vila Real
Autor: Morais, Cristina Alexandra Sacras
Ribeiro, Maria Isabel
Fernandes, Adília
Palavras-chave: Enfermeiro
Cuidados continuados
Stresse
Escala de perceção de stresse
Data: 2013
Editora: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança
Citação: Morais, C., Ribeiro, M. e Fernandes, A. (2013) - O nível de stresse nos enfermeiros: a realidade das unidades de cuidados continuados dos distritos de Bragança e Vila Real. In Primeiras Jornadas de Enfermagem da Escola Superior de Saúde do IPB: livro de atas. Instituto Politécnico de Bragança, p. 361-369. ISBN 978-972-745-159-3
Resumo: A enfermagem é uma profissão desgastante, já que implica interagir com a pessoa em situação de crise e de sofrimento. Devido à sobrecarga e ao stresse enfrentado, a qualidade deste relacionamento pode estar comprometida, interferindo na qualidade dos cuidados prestados. A finalidade deste estudo foi determinar o nível de stresse nos enfermeiros dos Cuidados Continuados do distrito de Bragança e Vila Real e verificar se existem diferenças entre os dois distritos. Trata-se de um estudo quantitativo, transversal e observacional. De um total de 166 enfermeiros a exercer funções nas Unidades de Cuidados Continuados do distrito de Bragança e Vila Real, 131 responderam ao questionário. Para a recolha dos dados, que decorreu no período de março de 2011 a novembro 2012, aplicou-se a “Escala de Percepção de Stresse” de Pais-Ribeiro & Marques (2009). Do total dos inquiridos, 51,91% (68) eram do distrito de Vila Real e 48,1% (63) eram de Bragança. Os enfermeiros tinham idades compreendidas entre os 22 e os 54 anos, sendo a amioria do género feminino (77,9%). Constatou-se que o maior número de enfermeiros se concentra nas Unidades de Média e Longa duração (44,3%; 58), seguindo-se-lhe a Unidade de Longa duração (34,4%; 45), a Unidade de Convalescença e Paliativos (18,3%; 24) e, por fim, a Unidade de Média duração (3,1%; 4). Os enfermeiros registaram um nível de stresse moderado (Média=34,2 DP±4,96). A distribuição dos inquiridos pelo nível de stresse foi o seguinte: 33,6% (44) manifestaram um nível de stresse reduzido; 65,7% (86) mostraram ter um nível moderado de stresse e 0,8% (1) registaram um nível elevado de stresse. O Distrito não se mostrou diferenciador (t=0,443; p=0,658>0,05) do nível de stresse dos enfermeiros (Vila Real: Média=34,1; DP±5,1 e Bragança: Média=34,4; DP±4,8). Pode concluir-se que a profissão de enfermagem é stressante e deve ser reconhecida como tal. Perante esta constatação, existe a necessidade de discutir e implementar medidas preventivas e minimizadoras de stresse nos locais de trabalho, por forma a obter uma saúde individual e coletiva da equipa de enfermagem. A qualidade dos cuidados prestados depende da condição física e emocional da pessoa que cuida.Abstract Nursing is a very demanding job, as it implies interacting with people in situations of crisis and suffering. Due to the high workload and the demands faced daily, the quality of this interaction can be affected, to the point of interfering with the quality of the nurse´s work. The purpose of this study is to determine the level of stress found in nurses in the Palliative Care sector of the Bragança and Vila Real districts, aiming to find out if there are any differences between the two regions. It consists of a quantitative, transversal and observational study; from the 166 nurses in the palliative care centers of Vila Real and Bragança approached, a total of 131 answered the questionnaire. Data was collected from March 2011 to November 2012; the “Escala de Percepção de Stress” by Pais-Ribeiro & Marques (2009) was applied. Of the total respondents 51,9% (68) were from the Vila Real units, while 48,1% (63) were from the Bragança units. Nurses’ ages comprised from 22 to 54 years old, average 28,7 (DP±5,88); 77,9% (102) being females, while 22,1% (29) were of the male gender. It was verified that the largest number of nurses was concentrated in the Long and Medium Duration Units (44,3%; 58 ), followed by the Long Duration Unit,(34,4%; 45), and by the Recovering and Palliative Care Unit (18,3%; 24 ) and, lastly, the Medium Duration Unit (3,1%; 4) . The level of stress registered was moderate. (Mean=34,2: SD±4,96). Distribution by stress level was: 33,6% (44) showed a very reduced stress level; 65,7 % (86) registered a moderate stress level, while 0,8% (1) registered a high stress level. There doesn´t seem to be any difference (t=0,443; p=0,658 >0,05) between the stress level of the nurses on both districts (Vila Real: Mean=34,1;SD±5,1 and Bragança: (Mean=34,4; SD±4,8). We can conclude, then, that Nursing is a stressful job and must be recognized as such. According to this knowledge, there is a very real need to discuss and implement preventive measures which will minimize stress at the workplace, in order to obtain individual and collective general health for all team´s members. The quality of the work and care rendered will depend on the physical and emotional condition of the careers.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/9544
ISBN: 978-972-745-159-3
Aparece nas colecções:CSE - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Stresse_ComunicaçãoCongressoEnfermagemESSa.pdf420,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.