Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/9368
Título: Avaliação da bioatividade de quatro lenhinas técnicas: Alcell, Sarkanda, Indulin-At e Curan 27-11P.
Autor: Marques, Azucena
Calhelha, Ricardo C.
Barros, Lillian
Queiroz, Maria João R.P.
Ferreira, Isabel C.F.R.
Barreiro, M.F.
Palavras-chave: Lenhina
Atividade antioxidante
Potencial antitumoral
Data: 2013
Citação: Marques, Azucena; Calhelha, Ricardo C.; Barros, Lillian; Queiroz, Maria João R.P.; Ferreira, Isabel C.F.R.; Barreiro, Maria Filomena (2013) . Avaliação da bioatividade de quatro lenhinas técnicas: Alcell, Sarkanda, Indulin-At e Curan 27-11P. In Encontro de Jovens Investigadores do Instituto Politécnico de Bragança
Resumo: A lenhina é uma das substâncias mais abundantes do reino vegetal; contribuiu para a rigidez da parede celular e confere proteção química contra herbívoros, insetos e fungos. Possui uma estrutura tridimensional amorfa formada por unidades fenil-propano (p-hidroxifenilo, guaiacilo e seringilo). Os grupos funcionais de maior importância incluem grupos hidroxilo, metoxilo, carbonilo e carboxilo, presentes em proporções variadas dependendo da origem botânica e do processo de extração utilizado (1). O objetivo do presente trabalho consistiu na avaliação da bioatividade de quatro lenhinas técnicas: Alcell, Sarkanda, Indulin-AT e Curan 27-11P. A atividade antioxidante foi avaliada em condições in vitro, utilizando três ensaios diferentes: poder redutor (PR), atividade captadora de radicais 2,2-difenil-1-picril-hidrazilo (DPPH) e inibição da descoloração do β-caroteno (IDC). O potencial antitumoral foi testado em quatro linhas celulares tumorais humanas: MCF-7 (carcinoma de mama), HCT15 (carcinoma de cólon), HeLa (carcinoma cervical) e HepG2 (carcinoma hepatocelular), usando o ensaio da Sulforodamina B. Adicionalmente, a ausência de toxicidade para as células nãotumorais foi confirmada usando uma cultura primária de células de fígado de porco (PLP2). Todas as lenhinas testadas demonstraram ser bioativas no que respeita às propriedades estudadas. A Alcell destacou-se claramente das outras amostras quer pela sua atividade antioxidante (sobretudo nos ensaios de DPPH- EC50=63 mg/mL e IDC- EC50=26 mg/mL), quer pela capacidade de inibição da proliferação das linhas celulares tumorais HCT15 (GI50=56 μg/mL), HeLa (GI50=17 μg/mL) e HepG2 (GI50=46 μg/mL). A Indulin-AT revelou o maior PR (EC50=151 mg/mL), enquanto a Sarkanda revelou o maior potencial antitumoral para a linha MCF-7 (GI50=28 μg/mL). Os resultados observados podem estar correlacionados com o tipo e concentração dos grupos hidroxilo identificados nas lenhinas estudadas (1). Nomeadamente, a Indulin-AT revelou possuir o maior teor de grupos hidroxilo total; a Alcell o menor teor de hidroxilos alifáticos, enquanto a Sarkanda demonstrou ter o menor teor de hidroxilos fenólicos.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/9368
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados ao WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Oral Nac. 44.pdf210,18 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.