Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/7897
Título: Nutracêuticos e potencial antioxidante de erva-cidreira: amostras cultivadas, obtidas por cultura in vitro e comerciais
Autor: Dias, Maria Inês
Barros, Lillian
Sousa, Maria João
Ferreira, Isabel C.F.R.
Data: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Bragança
Citação: Dias, Maria Inês; Barros, Lillian; Sousa, Maria João; Ferreira, Isabel C.F.R. (2012) - Nutracêuticos e potencial antioxidante de erva-cidreira: amostras cultivadas, obtidas por cultura in vitro e comerciais. In 11º Encontro Nacional de Química dos Alimentos. Bragança. ISBN 978-972-745-132-6
Resumo: As infusões de Melissa officinalis L. (erva-cidreira) são usadas em todo o mundo pela sua ação digestiva, analgésica e outras aplicações farmacêuticas [1]. Neste trabalho, avaliou-se a produção de nutracêuticos e o potencial antioxidante de cinco amostras diferentes de ervacidreira: uma amostra cultivada em quintal, uma obtida por cultura in vitro e duas amostras comerciais disponíveis em diferentes formulações (em saquetas e granulada). Para produzir erva-cidreira por cultura in vitro, seguiu-se um procedimento otimizado e descrito por nós [2]. A análise de nutracêuticos incluiu determinação de macronutrientes (procedimentos AOAC), açúcares livres e ácidos gordos (técnicas cromatográficas), vitaminas e carotenóides (técnicas espectrofotométricas). A atividade antioxidante foi avaliada através dos ensaios de captação de radicais 2,2-difenil-1-picril-hidrazilo (DPPH), poder redutor, β-caroteno-linoleato e inibição da peroxidação lipídica em homogeneizados cerebrais. Foram ainda determinados os níveis de fenóis totais e flavonóides. Observou-se que o perfil da amostra obtida por cultura in vitro é mais próximo da amostra cultivada em quintal do que das amostras comerciais. A referida amostra apresentou uma maior concentração de proteínas (7,74 g/100 g massa seca) e cinzas (12,28 g/100 g massa seca), e um valor energético mais baixo (357,93 kcal/100 g massa seca). Demonstrou também a razão n6/n3 mais favorável (0,27), assim como o nível mais elevado de ácidos gordos polinsaturados (PUFA, 73,55%, maioritariamente ácido α-linolénico), tocoferóis (213,34 mg/100 g massa seca, incluindo os vitâmeros α-, - e -tocoferol) e ácido ascórbico (93,72 mg/100 g massa seca). No entanto, a amostra comercial disponibilizada em saquetas apresentou maior atividade antioxidante e níveis mais elevados de fenóis (715,81 mg equivalentes de ácido gálico/g infusão) e de flavonóides (319,48 mg equivalentes de catequina/g infusão). Este é um estudo inovador de comparação de nutracêuticos e atividade antioxidante em erva-cidreira cultivada em quintal, obtida por cultura in vitro e comercialmente. Para além disso, demonstrou que a técnica de cultura in vitro pode ser utilizada para estimular a produção de vitaminas nomeadamente tocoferóis e ácido ascórbico.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7897
ISBN: 978-972-745-132-6
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados ao WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Oral Nac. 28.pdf762,35 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.