Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/7599

Título: Sistemas de gestão do solo em olivais de Trás-os-Montes: efeitos nas propriedades superficiais do solo
Autor: Fonseca, Felícia
Queirós, Anabela
Buch, Andressa
Carvalho, Filipe Chichorro de
Sousa, José Paulo
Santos, Sónia A.P.
Palavras-chave: olival
coberto vegetal
Trás-os-Montes
Issue Date: 2012
Citação: Fonseca, Felícia; Queirós, Anabela; Buch, Andressa, Carvalho, Filipe Chichorro de; Sousa, José Paulo; Santos, Sónia (2012) - Sistemas de gestão do solo em olivais de Trás-os-Montes: efeitos nas propriedades superficiais do solo. In V Congresso Ibérico da Ciência do Solo. Angra do Heroísmo
Resumo: A maioria dos olivais de Trás-os-Montes ocupam áreas de risco de erosão potencial elevado a muito elevado, pelo que é fundamental aplicar técnicas de conservação do solo que evitem a perda deste recurso. A sensibilização para estas e outras questões de ordem agro-ambiental, bem como os efeitos na produção dos olivais têm vindo a incrementar a utilização de práticas culturais de controlo das infestantes alternativas à tradicional mobilização do solo. Neste sentido, o presente trabalho tem como objetivo estudar os efeitos de diferentes sistemas de gestão do coberto vegetal herbáceo em olivais nas propriedades da camada superficial do solo. O estudo decorreu em nove olivais com os seguintes sistemas de gestão do solo: (1) solo nú ao longo de todo o ano, com recurso à mobilização tradicional; (2) cobertura do solo por vegetação natural, com controlo efetuado por aplicação de herbícidas na linha de plantação e destroçamento da vegetação seca na entrelinha; (3) cobertura do solo por espécies de leguminosas semeadas, com controlo efetuado por pastoreio e posterior destroçamento da vegetação seca e (4) cobertura do solo por vegetação natural. Em cada olival foram selecionados 16 locais (8 na entrelinha e 8 na linha de plantação), onde se procedeu à colheita do horizonte orgânico (quando presente) numa área de 30 x 30 cm e de amostras de solo perturbadas e não perturbadas na profundidade 0-5 cm. Os olivais que utilizam coberturas vivas apresentam acumulação de resíduos orgânicos à superfície, sendo esta sempre superior na linha de plantação, o que conduz a teores de matéria orgânica superiores e com distribuição espacial mais homogénea comparativamente aos olivais mobilizados. Em concordância com esta observação, a densidade aparente é menor na linha de plantação apresentando variabilidade espacial inferior nos olivais com leguminosas semeadas. A capacidade de retenção de água no solo tende a ser idêntica nos diversos olivais. Os nutrientes do solo não apresentam uma tendência consistente com o sistema de gestão do solo. Apesar dos sistemas que utilizam a manutenção de coberturas vegetais vivas terem um tempo de implementação muito curto comparativamente aos sistemas mobilizados, já são percetíveis melhorias em diversas propriedades do solo, bem como na conservação do recurso solo, pelo que estes sistemas de gestão podem ter um papel decisivo na preservação dos olivais nestes ambientes.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7599
Appears in Collections:ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Felícia et al (raízes_CICS_2012)-2.pdf173,2 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE