Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ambiente e Recursos Naturais >
ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/7281

Título: Análise geográfica da actividade de pastoreio no sítio de Morais
Autor: Castro, José
Castro, Marina
Issue Date: 2010
Editora: SPFP, SEEP
Citação: Castro, José; Castro, Marina (2010) – Análise geográfica da actividade de pastoreio no sítio de Morais .In 4ª Reunião Ibérica de Forragens e Pastagens. Miranda do Douro, Zamora
Resumo: O Monte de Morais, com cerca de 12878 ha, é uma área classificada como Sitio Natura 2000, e constitui uma das áreas mais representativas da flora ultrabásica em Portugal. A área encerra habitats classificados prioritários coincidentes com uma significativa actividade de pastoreio, constituindo por isso um interessante exemplo de compatibilização de reconhecidos valores naturais com actividade agrícola tradicional. Com este trabalho pretendeu-se obter um primeiro levantamento e diagnóstico da actividade de pastoreio no território da freguesia de Morais, uma das bases do projecto de ordenamento do futuro “Parque Geobiológico de Macedo de Cavaleiros. Foram inventariados todos os rebanhos de ruminantes presentes nas aldeias de Morais e Sobreda, no termo da respectiva freguesia. Foram inquiridos os proprietários, visando o conhecimento da dimensão dos rebanhos e sistema de exploração dos mesmos, e georreferenciados todos os estábulos num sistema de informação geográfico. Cada ponto georreferenciado foi associado a uma entrada na matriz de dados dos inquéritos, permitindo representar geograficamente a estabulação dos animais em pastoreio, numa primeira aproximação à utilização pastoril do território. A distribuição territorial dos locais de estabulação depende da dimensão do respectivo rebanho, bem como da espécie em causa – bovinos, ovinos ou caprinos. Os rebanhos de maior dimensão da mesma espécie afastam-se entre si, numa “territorialidade” que não é reconhecida quando se consideram todos os locais de estabulação independentemente do número de animais. A sua relação com os hábitos e sistemas de exploração particulares de cada espécie são discutidos com base na análise espacial realizada.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7281
Appears in Collections:ARN - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Programa IV Reunião.pdf291,46 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE