Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Ciência Animal >
CA - Relatórios Técnicos/Científicos >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/7264

Título: Guia sanitário para criadores de pequenos ruminantes
Autor: Mendonça, Álvaro (Ed.)
Issue Date: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Bragança
Citação: (Ed.) Mendonça, Álvaro (2012) - Guia sanitário para criadores de pequenos ruminantes. Bragança: Instituto Politécnico. ISBN 978-972-745-137-1
Resumo: O Projecto OTSA (POCTEP) 0108_OTSA_2_E (Observatório Transfronteiriço de Sanidade Animal) decorreu ao abrigo do programa POCTEP, Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal, 2007-2013. Surgiu da reunião de três parceiros, a saber a Junta de Castilla y Lyon, que funcionou como Chefe de Fila e fez a Coordenação Internacional e dos parceiros portugueses Direcção Geral de Veterinária e Escola Superior Agrária de Bragança. Os seus objectivos eram claramente sanitários e visavam a reunião de dados provenientes das três organizações, assim como o reforço de programas sanitários. Como resultado final, surgiu uma Plataforma Informática, repositório de dados sanitários dos efectivos animais da JCyL e do Norte fronteiriço de Portugal, nomeadamente os concelhos raianos. Os criadores de gado e outros profissionais podem agora aceder aos dados epidemiológicos, de origem Portuguesa e Espanhola, carregados na plataforma, podendo conhecer o estado sanitário dos efectivos, programas sanitários em execução, estudos epidemiológicos e outras informações de um lado e outro da fronteira. Contribuiu-se assim para a coesão entre regiões. O presente relatório resulta de um estudo específico dirigido à compreensão das causas de mortalidade perinatal em Pequenos Ruminantes, tema sempre actual e de grande importância, dada a relevância económica do sector na região, e a não menos elevada perda de crias entre o fim da gestação e o primeiro mês de vida, que pode atingir os 16%. Durante um ano diversos Médicos Veterinários realizaram necrópsias a borregos e cabritos, e colheram amostras, que foram enviadas para um laboratório, com o objectivo de identificar os agentes patogénicos envolvidos. Estes trabalhos foram gratuitos para os criadores. Ao longo de um ano foram realizadas cerca de 180 necrópsias validadas. O nº de rebanhos intervencionados foi de 137, num total de 16164 animais adultos e 5195 crias, tendo sido contabilizados 861 casos fatais (16,57%). Entre os casos fatais contabilizaram-se 41% de patologias digestivas, 19% de patologias respiratórias, 12 % de abortos ou nados mortos, 7% de casos de inanição, 4% de acidentes e 18% de outras causas. Com estes resultados foram realizados estudos especializados, nomeadamente estudos epidemiológicos e trabalhos científicos, apresentados em reuniões especializadas. O primeiro capítulo resume um primeiro trabalho apresentado no Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Ciências Veterinárias, em 2011. Nele se apresentam os principais agentes patogénicos isolados. O presente relatório resulta da intenção de, partindo do conhecimento concreto das causas de mortalidade, fornecer aos criadores informação técnica, e bases científicas, para melhor compreender as afecções mais frequentes e assim contribuir mais activamente para a profilaxia. Para isso foi pedido a diversos especialistas das Instituições que directa ou indirectamente colaboraram no projecto, para redigirem os diversos capítulos, sobre temas da sua especialidade ou conhecimento particular, aqui reunidos num volume de divulgação. Trata-se de um manual dirigido aos criadores, dotado de sólidas bases científicas, onde estes poderão acompanhar o maneio indicado pelo médico veterinário assistente da sua exploração. Salvaguardamos a repetição parcial de um ou outro tema, que se deve sobretudo ao enfoque diferente de cada autor. Estes assuntos não são estanques. Para além das afecções mais directamente responsáveis pela mortalidade directa de fetos e crias, incluíram-se outras afecções que podem ocasionar o nascimento de crias fracas e menos viáveis, nomeadamente doenças incapacitantes da fêmea adulta, como a peeira, da sua capacidade para aleitar, como as mastites ou ainda da sua resistência geral, como os lentivírus. Agradecemos sem reservas a colaboração indispensável dos diversos participantes directos do Projecto: Olga Mínguez González, Anna Grau Vila, Sérgio Marqués Prendes, Cármen Martinez Nistal, Alfredo Sobral, Ana Paula Figueiras, Paula Matos. Agradeço ainda o grande esforço dos colegas que no campo realizaram as necrópsias, os colegas Ana Margarida Afonso, Guilherme França, Hélder Quintas, Isabel Lameira, João Reis, Jorge Façanha, Mónica Moura, Zita Coelho. Finalmente, aos colegas que, nas Universidades e Institutos, acompanharam mais ou menos directamente os trabalhos, fica uma palavra de agradecimento pela disponibilidade, apoio e sobretudo conhecimentos, os Professores Doutores : Ana Cláudia Coelho, Cristina Vilela, Filipe Silva, Isabel Pires, Madalena Monteiro, Miguel Saraiva Lima, Nuno Alegria, Yolanda Vaz. Aos colegas da Instituição ESAB, com mais directamente trabalhámos, o meu sincero obrigado: Duarte Diz Lopes, Hélder Quintas, Raimundo Maurício, Ramiro Valentim.
Arbitragem científica: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/7264
ISBN: 978-972-745-137-1
Appears in Collections:CA - Relatórios Técnicos/Científicos

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Guia Sanitário para Criadores de Pequenos Ruminantes.pdf4,75 MBAdobe PDFView/Open

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE