Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Produção e Tecnologia Vegetal >
PTV - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/7174

Título: Valorização das águas ruças: identificação de compostos antioxidantes
Autor: Falcão, Soraia
Peres, António M.
Domingues, M.R.M.
Cardoso, Susana M.
Palavras-chave: Águas ruças
Compostos fenólicos
Hidroxitirosol
Espectrometria de massa
Issue Date: 2009
Editora: Associação Portuguesa de Horticultura
Citação: Falcão, Soraia I.; Peres, António M.; Domingues, M.R.M.; Cardoso, Susana M. (2009) – Valorização das águas ruças: identificação de compostos antioxidan. In V Simpósio Nacional de Olivicultura. Santarém
Resumo: A enorme capacidade poluente das águas ruças produzidas em sistemas de extracção de azeite de três fases deve-se à sua elevada acidez e à grande quantidade de sais de potássio, magnésio, fósforo, e de moléculas orgâncias, especialmente polifenóis. açúcares, taninos, polialcoóis, pectinas, lípidos e compostos aromáticos tóxicos [1]. Por outro lado, alguns destes compostos, nomeadamente os compostos fenólicos, possuem actividades biológicas importantes e são por isso do interesse da indústria farmacêutica e alimentar [2]. A quantidade de compostos fenólicos nas águas ruças depende da maturação das azeitonas, da zona de cultivo, do tempo de armazeanamento e dos procedimentos de extracção [3]. O Hidroxitirosol é um dos mais abundantes e i que levanta mais interesse devido às suas propriedades farmacológicas e antioxidantes, podendo ser encontrado nos efluentes na forma livre, mas também na forma ligada como oleuropeína, verbascosídeo ou glicosídeo [4]. Neste trabalho pretendeu-se determinar a composição em compostos fenólicos de amostras de efluentes líquidos provenientes de diferentes lagares de azeite do Norte de Portugal (Amarante, Mirandela, Castelo Rodrigo e Frieira). Para tal, as águas ruças foram extraídas com acetato de etilo, o extracto foi fraccionado por HPLC e as fracções foram recolhidas e analisadas por espectrometria de massa (ESI-MS e ESI-MSn). Este procedimento permitiu verificar que o composto maioritário em todas as amostras era o hidroxitirosol, embora em concentração variável. As amostras continham ainda outros compostos fenólicos comuns, tais como o ácido clorogénico, o ácido cafeico, o ácido p-cumárico, o tirosol e secoiridoides como o ácido elenólico, o oleosideo, o verbascosídeo, a oleuropeína, o ligostrosídeo e alguns falvonóides como a luteolina, a quercetina e o glucosideo da luteolina.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7174
Appears in Collections:PTV - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2009_Abstract_V Simpósio Nac. Olivicultura_Santarém.pdf75,4 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia