Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/7174
Título: Valorização das águas ruças: identificação de compostos antioxidantes
Autor: Falcão, Soraia
Peres, António M.
Domingues, M.R.M.
Cardoso, Susana M.
Palavras-chave: Águas ruças
Compostos fenólicos
Hidroxitirosol
Espectrometria de massa
Data: 2009
Editora: Associação Portuguesa de Horticultura
Citação: Falcão, Soraia I.; Peres, António M.; Domingues, M.R.M.; Cardoso, Susana M. (2009) – Valorização das águas ruças: identificação de compostos antioxidan. In V Simpósio Nacional de Olivicultura. Santarém
Resumo: A enorme capacidade poluente das águas ruças produzidas em sistemas de extracção de azeite de três fases deve-se à sua elevada acidez e à grande quantidade de sais de potássio, magnésio, fósforo, e de moléculas orgâncias, especialmente polifenóis. açúcares, taninos, polialcoóis, pectinas, lípidos e compostos aromáticos tóxicos [1]. Por outro lado, alguns destes compostos, nomeadamente os compostos fenólicos, possuem actividades biológicas importantes e são por isso do interesse da indústria farmacêutica e alimentar [2]. A quantidade de compostos fenólicos nas águas ruças depende da maturação das azeitonas, da zona de cultivo, do tempo de armazeanamento e dos procedimentos de extracção [3]. O Hidroxitirosol é um dos mais abundantes e i que levanta mais interesse devido às suas propriedades farmacológicas e antioxidantes, podendo ser encontrado nos efluentes na forma livre, mas também na forma ligada como oleuropeína, verbascosídeo ou glicosídeo [4]. Neste trabalho pretendeu-se determinar a composição em compostos fenólicos de amostras de efluentes líquidos provenientes de diferentes lagares de azeite do Norte de Portugal (Amarante, Mirandela, Castelo Rodrigo e Frieira). Para tal, as águas ruças foram extraídas com acetato de etilo, o extracto foi fraccionado por HPLC e as fracções foram recolhidas e analisadas por espectrometria de massa (ESI-MS e ESI-MSn). Este procedimento permitiu verificar que o composto maioritário em todas as amostras era o hidroxitirosol, embora em concentração variável. As amostras continham ainda outros compostos fenólicos comuns, tais como o ácido clorogénico, o ácido cafeico, o ácido p-cumárico, o tirosol e secoiridoides como o ácido elenólico, o oleosideo, o verbascosídeo, a oleuropeína, o ligostrosídeo e alguns falvonóides como a luteolina, a quercetina e o glucosideo da luteolina.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/7174
Aparece nas colecções:PTV - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2009_Abstract_V Simpósio Nac. Olivicultura_Santarém.pdf75,4 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.