Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6926
Title: Estudo experimental e modelação numérica do punçoamento excêntrico em lajes fungiformes
Authors: Moreno, Carlos
Bastos, Ana Sarmento
Keywords: Laje fungiforme
Punçoamento excêntrico
Modelação numérica
Ensaio experimental
Issue Date: 2008
Citation: Moreno, Carlos; Bastos, Ana Sarmento (2008) - Estudo experimental e modelação numérica do punçoamento excêntrico em lajes fungiformes. In BE2008 – Encontro Nacional Betão Estrutural 2008. Gumarães.
Abstract: A capacidade resistente das lajes fungiformes é, frequentemente, limitada pela carga de rotura ao punçoamento, habitualmente inferior à carga de rotura por flexão. A investigação do fenómeno do punçoamento tem incidido essencialmente sobre o punçoamento centrado, em relação ao qual se poderá reconhecer que existe, actualmente, um conhecimento razoável aferido pela boa concordância entre as teorias explicativas e os resultados experimentais. Ao invés, os estudos experimentais sobre a influência da excentricidade do carregamento em lajes fungiformes são, ainda, escassos. Por outro lado a análise da regulamentação existente [1-4] evidencia claras diferenças nas recomendações e disposições legais em relação ao punçoamento. O presente trabalho tem como objectivo o estudo por vias experimental e numérica do efeito da excentricidade do carregamento na capacidade resistente última de lajes fungiformes. É avaliada experimentalmente a contribuição da armadura de punçoamento, analisando comparativamente os comportamentos de lajes em betão corrente, com ou sem armadura específica de punçoamento. Descrevem-se os ensaios realizados em seis modelos à escala real de laje quadrada (2.5×2.5×0.18 m3), submetidos a carregamento centrado e com excentricidade de 0.8 da dimensão do pilar central, também quadrado (0.25×0.25 m2). São avaliadas as contribuições da armadura transversal na carga última e na definição do cone de rotura. A excentricidade da carga determina uma redução de 32 % e de 25 % da capacidade resistente ao punçoamento no caso das lajes sem e com armadura transversal, respectivamente. A presença da armadura transversal origina um aumento da carga última de 23 % ou de 34 % nos ensaios sem ou com excentricidade, respectivamente. Os ensaios experimentais são também reproduzidos por simulações numéricas com recurso ao método dos elementos finitos e ao código computacional DIANA [5].
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6926
Appears in Collections:DMA - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ref 8.pdf840,45 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy
ref 8 - resumo.pdf106,45 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.