Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Tecnologia e Gestão >
Mecânica Aplicada >
DMA - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/6926

Título: Estudo experimental e modelação numérica do punçoamento excêntrico em lajes fungiformes
Autor: Moreno, Carlos
Bastos, Ana Sarmento
Palavras-chave: Laje fungiforme
Punçoamento excêntrico
Modelação numérica
Ensaio experimental
Issue Date: 2008
Citação: Moreno, Carlos; Bastos, Ana Sarmento (2008) - Estudo experimental e modelação numérica do punçoamento excêntrico em lajes fungiformes. In BE2008 – Encontro Nacional Betão Estrutural 2008. Gumarães.
Resumo: A capacidade resistente das lajes fungiformes é, frequentemente, limitada pela carga de rotura ao punçoamento, habitualmente inferior à carga de rotura por flexão. A investigação do fenómeno do punçoamento tem incidido essencialmente sobre o punçoamento centrado, em relação ao qual se poderá reconhecer que existe, actualmente, um conhecimento razoável aferido pela boa concordância entre as teorias explicativas e os resultados experimentais. Ao invés, os estudos experimentais sobre a influência da excentricidade do carregamento em lajes fungiformes são, ainda, escassos. Por outro lado a análise da regulamentação existente [1-4] evidencia claras diferenças nas recomendações e disposições legais em relação ao punçoamento. O presente trabalho tem como objectivo o estudo por vias experimental e numérica do efeito da excentricidade do carregamento na capacidade resistente última de lajes fungiformes. É avaliada experimentalmente a contribuição da armadura de punçoamento, analisando comparativamente os comportamentos de lajes em betão corrente, com ou sem armadura específica de punçoamento. Descrevem-se os ensaios realizados em seis modelos à escala real de laje quadrada (2.5×2.5×0.18 m3), submetidos a carregamento centrado e com excentricidade de 0.8 da dimensão do pilar central, também quadrado (0.25×0.25 m2). São avaliadas as contribuições da armadura transversal na carga última e na definição do cone de rotura. A excentricidade da carga determina uma redução de 32 % e de 25 % da capacidade resistente ao punçoamento no caso das lajes sem e com armadura transversal, respectivamente. A presença da armadura transversal origina um aumento da carga última de 23 % ou de 34 % nos ensaios sem ou com excentricidade, respectivamente. Os ensaios experimentais são também reproduzidos por simulações numéricas com recurso ao método dos elementos finitos e ao código computacional DIANA [5].
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/6926
Appears in Collections:DMA - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
ref 8.pdf840,45 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
ref 8 - resumo.pdf106,45 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia