Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/4281
Title: Variação do peso de doentes oncológicos em quimioterapia
Author: Martins, Marisa
Neves, Patrícia
Coelho, Sónia
Caldas, Valéria
Nabiço, Rui
Souza, Juliana
Keywords: Peso
IMC
Cancro
Quimioterapia
Issue Date: 2008
Publisher: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica
Citation: Martins, Marisa; Neves, Patrícia; Coelho, Sónia; Caldas, Valéria; Nabiço, Rui; Souza, Juliana (2008) - Variação do peso de doentes oncológicos em quimioterapia. Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica. ISSN 1646-7183. II:2, p. 102-106
Series/Report no.: Volume II;
Abstract: Introdução: O cancro representa 13% da mortalidade mundial e em Portugal diagnosticam-se, anualmente, entre 40 a 45 mil novos casos de cancro. A quimioterapia é largamente utilizada como terapia do cancro, um estado nutricional adequado pode reduzir complicações do tratamento. Muitos autores estudaram a alteração do peso induzida pela quimioterapia mas, enquanto que alguns mencionam que ocorre um aumento do peso, outros afirmam que há perda de peso. Objectivo: Avaliar a variação do peso corporal de doentes oncológicos antes e depois de realizarem quimioterapia. Materiais e métodos: Um estudo longitudinal e retrospectivo foi realizado no Serviço de Oncologia do Hospital de São Marcos de Braga. Foram incluídos no estudo todos os doentes com qualquer tipo de cancro, com idade superior a 18 anos e que iniciaram quimioterapia pela primeira vez no período entre Janeiro de 2007 e Abril de 2008, totalizando 130 indivíduos. A data de nascimento, o tipo de quimioterapia, o tipo de cancro, o número de ciclos de quimioterapia, a altura, o peso antes de iniciar a quimioterapia e o peso entre sexto e o sétimo mês após o início da quimioterapia, foram os dados recolhidos através da análise dos processos clínicos Resultados/Discussão: Verificou-se que, em média, o peso corporal aumentou significativamente 2,13 Kg após seis meses de quimioterapia (p=0,004), aumentando também o IMC 0,79 kg/m2 (p=0,006). Este aumento de peso pode dever-se ao facto de a quimioterapia reduzir o tumor, o que leva a uma melhor deglutição e a um aumento da quantidade de alimentos ingeridos que favorece o aumento de peso.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/4281
ISSN: 1646-7183
Publisher Version: Associação Portuguesa de Nutrição Entérica e Parentérica.
Appears in Collections:DTDT - Artigos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
APNEP 2008.pdf3,08 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.