Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Educação >
Departamento de Supervisão da Prática Pedagógica, Educação Infantil e Professores 1º Ciclo >
DSPP - Posters em Encontros Científicos Internacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3839

Título: A Matemática que ajuda a “ser um cientista mais esperto do que o Einstein”
Autor: Rodrigues, Alexandrina
Maio, Carla
Martins, Cristina
Mesquita, Elza da Conceição
Pereira, Filipa
Issue Date: 2008
Editora: Grupo de Estudos para o Desenvolvimento da Educação de Infância
Citação: Rodrigues, Alexandrina; Maio, Carla; Martins, Cristina; Mesquita, Elza da Conceição; Pereira, Filipa (2008) - A Matemática que ajuda a “ser um cientista mais esperto do que o Einstein”. In VIII Simpósio Internacional do GEDEI. Aveiro
Resumo: O poster que se apresenta intitulado A Matemática que ajuda a “ser um cientista mais esperto do que o Einstein” é o resultado do desenvolvimento de um projecto de investigação-acção, implementado ao longo de um ano de estágio (2007/2008) e operacionalizado numa turma do 4.º ano do Curso de Licenciatura em Professores do Ensino Básico – 1.º Ciclo, tendo envolvido três formandas do 4.º ano do 1.º Ciclo do Ensino Básico e duas professoras da Escola Superior de Educação de Bragança num constante trabalho de reflexão, cooperação e divulgação. Neste processo promoveram-se atitudes investigativas face às práticas, relativamente à literacia matemática, sobretudo, no que diz respeito ao desenvolvimento de pedagogias alternativas suportadas pelo jogo e pela ludicidade para que as práticas didáctico-pedagógicas facilitem à criança a construção de competências. O interesse pela temática emergiu no decorrer de uma sessão de observação quando uma criança, no decurso de uma actividade de Matemática, questionou se ainda faltava muito tempo para mudar de área disciplinar. Facto este que nos deixou expectantes e nos levou a questionar o motivo de tal solicitação. A surpresa aconteceu quando a aluna respondeu “Porque eu não gosto de Matemática”. Perante tal resposta sentimos necessidade de mudar a maneira de pensar desta e das demais crianças. Pesquisámos formas alternativas de abordar esta área curricular e reflectimos muito sobre as actividades a implementar, pois o objectivo era desenvolvê-las de forma progressiva. Com a realização deste projecto fomos percebendo o desenvolvimento colaborativo de um projecto de investigação-acção, assente nas necessidades, expectativas, pressupostos e princípios que, se não comuns, são pelo menos partilhados, explicitados, negociados e consensualmente ajustados, aproximando os participantes do mesmo ideal (auto-)formativo, estreitando o seu relacionamento pessoal e reforçando a vontade de dar continuidade à colaboração. O culminar deste projecto permitiu colmatar as dificuldades e desmotivações que estas crianças apresentavam na área disciplinar de Matemática.
Arbitragem científica: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/3839
Appears in Collections:DSPP - Posters em Encontros Científicos Internacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
A Matemática que ajuda a ser.pdf735,56 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


  © Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
  Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE