Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Saúde >
Departamento de Ciências da Vida e Saúde Pública >
CVSP - Posters em Encontros Científicos Nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3506

Título: Perfil epidemiológico dos alunos do ensino superior relativamente ao consumo de psicofármacos
Autor: Correia, Teresa
Nunes, M.
Barros, Susana
Penas, Soraia
Issue Date: 2010
Editora: Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge
Citação: Correia, Teresa; Nunes, M; Barros, S; Penas, S (2010) – Perfil epidemiológico dos alunos do ensino superior relativamente ao consumo de psicofármacos. In II Congresso Nacional de Saúde Pública. Porto
Resumo: Introdução: O consumo de Psicofármacos tem vindo a aumentar. A doença mental tem sido subestimada assim como a sua prevenção e tratamento. O estudo realizado tem como objectivo identificar o consumo de psicofármacos, pelos alunos de um Instituto Politécnico do Norte e investigar os factores associados. Participantes e Métodos: Foram inquiridos 352 alunos das quatro escolas do Instituto Politécnico de Bragança. A recolha de dados foi realizada por alunas do curso de Farmácia no mês de Março de 2010 nas instalações das escolas. A informação foi recolhida através de um questionário auto-aplicado. Depois de inserida e codificada a informação, os dados foram analisados com recurso ao programa SPSS®. Resultados: Da população estudada, 75,8% consideram o seu estado de saúde bom/muito bom, 59,1% referem estar sob stress médio, a qualidade de sono foi considerada razoável pela maior dos estudantes (46,9%). Relativamente ao consumo de álcool, 31,5% dos estudantes afirmam não consumir e 2,8% consomem 7 ou mais vezes por semana. Cerca de 30% dos inquiridos assumem-se fumadores. Da população em análise 16,2% admitem ter uma doença, sendo que, 2,3% referem ter uma doença neurológica, ainda 8,5 % tomam medicamentos para a doença que dizem possuir. Os estudantes informaram um consumo de 11,9% de psicofármacos, notando-se a preferência pela valeriana (35,5%) e pelo alprazolam (22,4%). Verifica-se que 51,3% tomam psicofármacos por aconselhamento do médico de família, 30,2% foram aconselhados por médicos especialistas, os restantes foram aconselhados por familiares, amigos e outros profissionais de saúde. O consumo de psicofármacos está associado ao género, stress, álcool, diversas doenças e especificamente doença neurológica. Conclusões: O consumo de psicofármacos, entre os jovens, revela-se elevado. Os consumidores nem sempre têm a noção dos efeitos secundários destes medicamentos. Assim, é necessário melhorar a sua detecção contribuindo para a qualidade de vida das populações.
Arbitragem científica: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/3506
Appears in Collections:CVSP - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
POSTER Perfil Epidemiológico dos Alunos do Ensino Superior Relativamente ao Consumo de Psicofármacos.pdf348,3 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia