Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/3465
Título: Biomassa microbiana e respiração do solo em plantações de folhosas consociadas com uma espécie acessória fixadora de N (Robinia pseudoacacia)
Autor: Pereira, Ermelinda
Arrobas, Margarida
Magalhães, Ana Luísa
Monteiro, Maria do Loreto
Patrício, Maria do Sameiro
Palavras-chave: Biomassa microbiana
Robinia pseudoacacia
Florestas mistas
Data: 2009
Editora: Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais
Citação: Pereira, Ermelinda; Arrobas, Margarida; Magalhães, Ana Luísa; Monteiro, M. Loreto; Patrício, M. do Sameiro (2009) - Biomassa microbiana e respiração do solo em plantações de folhosas consociadas com uma espécie acessória fixadora de N (Robinia pseudoacacia). In 6º Congresso Florestal Nacional - A Floresta no mundo globalizado
Resumo: A presença de espécies acessórias fixadoras de N aumenta a fertilidade do solo, reduz a competição, particularmente entre diferentes tipologias radiculares e aéreas e valoriza a qualidade da madeira da espécie principal. Os microrganismos do solo, pelas suas características, além de proporcionarem respostas mais rápidas a mudanças no ambiente apresentam um alto potencial de uso na avaliação da qualidade do solo. Este trabalho pretende avaliar alterações na biomassa microbiana e respiração do solo num ensaio de plantações de folhosas consociadas com uma espécie fixadora de N (Robinia pseudoacacia), localizado no concelho de Vimioso no Nordeste Transmontano, instalado em 1998. Para o estudo consideraram-se as parcelas: puro de Prunus avium (PC), puro de Robinia pseudoacacia (PR) e Prunus avium x Robinia pseudoacacia (MRC) consociada na linha de forma alternada com um compasso de 3,5x2,0 m. Em cada parcela foram considerados 4 pontos de amostragem. A recolha de amostras de solo para a determinação dos parâmetros microbianos foi realizada na Primavera, na profundidade de 0-10 cm. A avaliação do C da biomassa microbiana (CBM) foi efectuada pelo método de fumigação-extracção. A respiração do solo foi avaliada pela produção de CO2 em sistema fechado. O carbono total (CT) foi determinado por incineração. Os primeiros resultados do CT não revelaram diferenças significativas entre parcelas. No que respeita à respiração do solo registaram-se, durante os 25 dias de incubação em condições controladas, valores médios de 54,6 µg C-CO2 g-1 solo dia-1 na parcela MRC, 27,9 µg C-CO2 g-1 solo dia-1 na parcela PC e 46,5 µg C-CO2 g-1 solo dia-1 na parcela PR. A análise dos resultados obtidos até agora revela valores mais elevados na parcela MRC embora as diferenças não possam ser consideradas estatisticamente diferentes.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3465
Aparece nas colecções:BB - Posters em Encontros Científicos Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2009Açores.pdf790,96 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.