Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/3392
Título: Avaliação da eficácia organizacional das escolas superiores agrárias portuguesas
Autor: Fernandes, António
Ribeiro, Maria Isabel
Matos, Alda
Cabo, Paula
Palavras-chave: Eficácia organizacional
Modelo dos valores competitivos
Ensino Superior
Ciências agrárias
Data: 2009
Editora: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Educação
Citação: Fernandes, A., Ribeiro, M., Matos, A. e Cabo, P. (2009) - Avaliação da eficácia organizacional das escolas superiores agrárias portuguesas. In X Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação: Investigar, Avaliar, Descentralizar. Bragança: Instituto Politécnico de Bragança
Resumo: Os institutos politécnicos com ensino superior agrário encontram-se dispersos por todo o território nacional. Com esta distribuição geográfica pretendeu-se imprimir uma nova dinâmica aos territórios nos quais foram implantados. Mas, coloca-se a questão: será que as escolas superiores agrárias responsáveis, nestas instituições, pelo ensino das ciências agrárias têm vindo a cumprir a sua missão com eficácia? Esta comunicação visa responder a esta questão. Para isso, apresentam-se os resultados da avaliação destas unidades orgânicas no que diz respeito à eficácia organizacional. Os resultados foram obtidos a partir de 63 indicadores que permitem avaliar 3 domínios de eficácia, nomeadamente, o domínio académico, o domínio da motivação e o domínio da adaptação externa. Em 2005 procedeu-se à recolha dos dados com recurso a um inquérito administrado, directamente, aos presidentes e vice-presidentes das escolas superiores agrárias. O inquérito foi enviado por correio electrónico ao universo em estudo para que todos tivessem a mesma oportunidade de responder. Os resultados, medidos numa escala de Likert que varia de 1 (nada importante) a 5 (muito importante), revelam níveis de eficácia globalmente aceitáveis. No domínio académico e no domínio da motivação esses níveis correspondem, respectivamente, a 3,08 e 2,95. O nível de eficácia é mais elevado no domínio da adaptação externa (3,77). De alguma forma, este facto pode ser explicado pela natureza dos subsistemas de ensino superior, nos quais estas unidades orgânicas estão integradas. Igualmente, pode-se afirmar que estas unidades orgânicas poderão vir a contribuir, de forma ainda mais activa, para a dinâmica dos territórios. Para isso, não deverão perder de vista aquele que deve continuar a ser o seu principal objectivo – a procura da excelência.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/3392
Aparece nas colecções:CSE - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
resumo antonio.pdf1,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.