Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior Agrária >
Produção e Tecnologia Vegetal >
PTV - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/3149

Título: Manutenção do solo sem mobilização em olivais de sequeiro
Autor: Rodrigues, M.A.
Cabanas, J.E.
Lopes, João
Pavão, Francisco
Arrobas, Margarida
Bento, Albino
Pereira, J.A.
Torres, L.
Issue Date: 2004
Editora: Sociedade Portuguesa da Ciência do Solo
Citação: Rodrigues, Manuel; Cabanas, José; Lopes, João; Pavão, Francisco; Arrobas, Margarida; Bento, Albino; Pereira, José; Torres, Laura (2004) - Manutenção do solo sem mobilização em olivais de sequeiro. In I Congresso Ibérico da Ciência do Solo. Bragança
Resumo: Neste trabalho são apresentados resultados de uma experiência de campo em que se ensaiam formas de manter a superfície do solo alternativas às mobilizações em olivais de sequeiro. O ensaio decorre em Lamas de Cavalo, concelho de Mirandela, desde Outubro de 2001. 0 solo é um Leptossolo Dístrico, derivado de xisto, com declive de 5 a 6 %. O olival tem 15 anos de idade e as árvores, da cultivar Cobrançosa, estão plantadas em compasso 6 x 6 m. Antes da instalação do ensaio o olival era mantido em mobilização tradicional. As modalidades em estudo foram: mobilização tradicional (MD; glifosato (Gil), como herbicida não selectivo em aplicação única em Abril; herbicida residual e de contacto (HR% em aplicação única em Fevereiro; e consociação aveia x ervilhaca (CAE), semeada no Outono e destruída com herbicida não selectivo em Abril. Em cada modalidade foram marcadas 12 árvores aparentemente idênticas, para assegurar homogeneidade de potencial produtivo. A colheita de Dezembro de 2001 (ano de referência) originou produções médias de 7 kg de azeitona por árvore, com valores semelhantes entre modalidades. Em 2002, a produção foi muito baixa em todas as modalidades. Contudo, o talhão mobilizado apresentou já o resultado médio mais baixo, se bem que as diferenças não tivessem tido significado estatístico (P>0.05). Em Dezembro de 2003, a modalidade CAE originou as produções mais elevadas (10,6 kg/árvore), seguida da modalidade Gli (8,8 kg/árvore). As modalidades HR e MT conduziram a produções significativamente inferiores (P<O,05) com 7,0 e 6,2 kg/árvore, respectivamente. Nestas últimas modalidades, foram ainda registados menores aumentos no perímetro dos troncos comparativamente com CAE e Gli. A determinação de algumas propriedades físicas do solo, como a densidade aparente e o teor de humidade a pF 2.7. dois anos após o inicio das experiências, originou resultados pouco consistentes e difíceis de relacionar ainda com o desempenho das árvores
Arbitragem científica: no
URI: http://hdl.handle.net/10198/3149
Appears in Collections:PTV - Resumos em Proceedings Não Indexados ao ISI/Scopus

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Manutenção2.pdf46,15 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia