Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/16008
Título: Meladas de hemípteros como fonte de alimento para Psyttalia concolor: quais os benefícios?
Autor: Pinheiro, Lara A.
Pereira, J.A.
Medina, P.
Santos, Sónia A.P.
Palavras-chave: Saissetia oleae
Euphyllura olivina
Carboidratos
Estado nutricional
Parasitóides
Data: 2017
Citação: Pinheiro, Lara A.; Pereira, J.A.; Medina, P.; Santos, Sónia A.P. (2017) - Meladas de hemípteros como fonte de alimento para Psyttalia concolor: quais os benefícios?. In X Congreso Nacional de Entomología Aplicada, XVI Jornadas Científicas de la SEEA. Logroño
Resumo: Psyttalia concolor Szépligeti (Hymenoptera: Braconidae) é um parasitóide que, no seu estado adulto, necessita de carboidratos na sua dieta. A disponibilidade de alimento influencia a sua sobrevivência e reprodução e, consequentemente, o seu desempenho como agente de luta biológica contra pragas. Em muitos agro-ecossistemas as fontes alimentares ricas em carboidratos (p. e., néctar nas flores da vegetação espontânea) estão disponíveis durante um curto período de tempo ou são, em geral, pouco abundantes. No olival, na ausência de néctar, as meladas de hemípteros, tais como Saíssetia oleae Olivier (Coccidae) e Euphyllura olivína (Costa) (Psyllidae), podem ser uma fonte alternativa de alimento. Com este trabalho pretendeu-se determinar o efeito do consumo de meladas excretadas por 5. oleae e E. olivina na (l) longevidade e (2) estado nutricional de P. concolor. Em condições controladas, cada tipo de melada foi colocado à disposição de 60 indivíduos recémemergidos de P. concolor (30 fêmeas e 30 machos) e a sua sobrevivência avaliada ao longo do tempo. Como controlos positivo e negativo utilizou-se respectivamente, mel 10% e água destilada. O estado nutricional de P. concolor foi determinado por meio de testes bioquímicos de quantificação do conteúdo corporal em glicogénio, lípidos e açúcares de 10 indivíduos alimentados com cada tipo de melada, ao longo de 6 dias. Verificou-se que as meladas favoreceram a sobrevivência de P. concolor proporcionando maior longevidade do que a água (longevidade média registada em indivíduos alimentados com água = 2,9 dias, mel = 27,7 dias, melada de S. oleae = 42,3 dias e de E. olívina = 61,3 dias). Os resultados preliminares dos teores de nutrientes sugerem que as meladas melhoraram o estado nutricional de P. concolor, e portanto, podem representar um alimento importante capaz de manter o fitness do parasitóide e promover a proteçâo contra Bactrocera oleae (Rossi) (Diptera: Tephritidae), a praga-chave da oliveira.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/16008
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2017, P32.pdf376,26 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.