Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/15732
Título: O mercado do mel em Portugal: uma visão dinâmica
Autor: Cabo, Paula
Ribeiro, Maria Isabel
Fernandes, António
Matos, Alda
Palavras-chave: Mel
Mercado
Portugal
Data: 2018
Editora: Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
Citação: Cabo, Paula; Ribeiro, Maria Isabel; Fernandes, António; Matos, Alda (2018) - O mercado do mel em Portugal: uma visão dinâmica. V Congresso Ibérico de Apicultura. Coimbra. ISBN 978-989-95050-3-2
Resumo: A relação entre o homem e a abelha data do período paleolítico, sendo a apicultura das mais antigas produções do mundo. Atualmente, a atividade é tida como estratégica para o desenvolvimento sustentável do espaço rural, enquanto fonte de rendimento e emprego e, em especial, pelo papel que desempenha na polinização de espécies nativas e cultivos agrícolas. Esta comunicação visa facilitar a competitividade do setor, em particular, da produção melífera. Para tal, adotou-se uma metodologia de investigação quantitativa, descritiva e longitudinal. O estudo abarca o período 2005-2015 e recorre a informação estatística diversa [1, 2]. A produção apícola direta engloba produtos vários: cera, pólen, própolis, geléia real, enxames e, com a maior relevância no setor, o mel. Propomo-nos, assim, examinar as estatísticas anuais referentes ao mercado nacional de mel, forma a estabelecer correlações que permitam reconhecer constrangimentos e potencialidades. A apicultura portuguesa concentra-se mormente nas regiões do Interior Norte e Centro, é exercida sobretudo por pequenos apicultores, em complemento da atividade agrícola, e a taxa profissionalização é ainda reduzida (10%). Em 2015, o valor da produção melífera, ao produtor, excedia os 50 milhões de euros, evidenciando a sua importância para a geração de valor do setor. Em 10 anos, o valor do mel, na produção, quase duplicou, fruto do aumento do volume e do preço médio ao produtor, sobretudo, na venda a granel. O mel nacional destina-se especialmente ao consumo humano, sendo o consumidor português típico apreciador de mel, em especial, pêlos benefícios do seu consumo para a saúde. Este adquire o mel sobretudo junto de produtores locais, preferindo mel da própria região, não sendo a marca um atributo particularmente valorizado [3, 4]. Em 2015, o consumo nacional de mel per capita rondava os 1,4 kg, duplicando o valor registado em 2005. Tal acréscimo prejudicou a capacidade de abastecimento do mercado interno, sendo a atual oferta nacional de mel insuficiente face à procura interna. As trocas externas de mel têm por parceiros prioritários países comunitários, sobretudo, Espanha e Alemanha. Entre 2005 e 2015, a Balança Comercial do produto foi, em geral, positiva, apresentando amiúde saldos positivos, embora reduzidos. Em 2015, o cenário alterou-se tendo o comércio externo de mel sido desfavorável a Portugal, em 1,2 milhões de euros. A análise comparativa da evolução do preço médio à exportação e importação, evidencia a crescente apreciação do mel nacional no mercado externo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/15732
ISBN: 978-989-95050-3-2
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
resumo mercado mel portugal.pdf193,54 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.