Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/14120
Título: Atividade antioxidante de Passiflora edulis Sims edulis ao longo da maturação
Outros títulos: Antioxidant activity of Passiflora edulis Sims edulis during maturation
Autor: Souza, Nathália Bertoto Mercante de
Pereira, J.A.
Lopes-da-Silva, M.F.
Malheiro, Ricardo
Palavras-chave: Maracujá-roxo
Polpa
Casca
Semente
Bioactividade
Composição fitoquímica
Data: 2016
Editora: Associação Portuguesa de Horticultura
Citação: Souza, Nathália Bertoto Mercante de; Pereira, J.A.; Lopes-da-Silva, Maria de Fátima; Malheiro, Ricardo (2016) - Atividade antioxidante de Passiflora edulis Sims edulis ao longo da maturação = Antioxidant activity of Passiflora edulis Sims edulis during maturation. In IX Simpósio Ibérico de Maturação e Pós Colheita e Actas Portuguesas de Horticultura. 28, p. 183-190. ISBN 978-972-8936-24-2
Relatório da Série N.º: Actas Portuguesas de Horticultura;n.º 28
Resumo: O maracujá-roxo (Passiflora edulis Sims edulis) tem ganho destaque pelo elevado valor organolético do seu fruto e pelas propriedades biológicas que apresenta. No entanto, as cascas e as sementes são subprodutos industriais que poderão ser valorizados tendo em vista o seu potencial bioativo. A maturação é um fator preponderante na composição do fruto, não havendo informação sobre alterações nas diferentes partes do fruto. Neste sentido, no presente trabalho estudou-se o efeito da maturação do fruto ao nível da atividade antioxidante e composição fitoquímica das diferentes partes do maracujá-roxo (polpa, casca e sementes). Assim sendo, as diferentes partes do maracujá-roxo foram separadas em cinco graus de maturação de acordo com a coloração da casca (G1 – mais verde a G5 – mais maduro). Para cada grau de maturação e matriz estudada, procedeu-se à preparação de extratos metanólicos, onde foi avaliada a atividade antioxidante (atividade antiradicalar e poder redutor) e o teor em compostos fenólicos (fenóis totais, derivados do ácido hidroxicinâmico e flavonóis). Na polpa registaram-se maiores rendimentos de extração, no entanto, o maior potencial antioxidante foi observado nos extratos das cascas, seguido das sementes e polpa. A atividade antioxidante das cascas aumentou com o avanço da maturação, tendo-se verificado menor potencial antioxidante e teor em fitoquímicos na polpa. As sementes apresentaram valores mais elevados de fenóis totais, derivados do ácido hidroxicinâmico e flavonóis. Nas diferentes partes do maracujá-roxo verificou-se uma correlação entre a atividade antioxidante registada e o teor em fenóis totais. A maturação provoca alterações ao nível das diferentes partes do maracujá-roxo, sendo importante conhecê-las para estabelecer uma época de colheita que permita obter produtos com elevado potencial bioativo e teor em fitoquímicos, sendo também importante para se poder valorizar os seus subprodutos, principalmente as cascas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/14120
ISBN: 978-972-8936-24-2
Aparece nas colecções:CIMO - Artigos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Publi. Antiox_Livro Atas_IX SIMPC.pdfartigo1,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.