Biblioteca Digital do Instituto Politécnico de Bragança   Instituto Politécnico de Bragança

Biblioteca Digital do IPB >
Escola Superior de Tecnologia e Gestão >
Economia e Gestão >
DEG - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10198/1251

Título: Sobre a persistência dos descontos nos fundos de investimento fechados
Autor: Monte, Ana Paula
Palavras-chave: Fundos de investimento fechados
Descontos nos fundos de investimento fechados
Sentimento do investidor
Análise multivariada
Análise de cointegração
Issue Date: 2008
Editora: Universidade do Minho, Escola de Economia e Gestão
Citação: Monte, Ana Paula (2008) - Sobre a persistência dos descontos nos fundos de investimento fechados. Braga: Universidade do Minho, Escola de Economia e Gestão. Tese de Doutoramento em Ciências Empresariais, Especialização em Finanças Empresariais
Resumo: Desde há vários anos que a existência e persistência dos descontos/prémios dos fundos de investimento fechados tem suscitado perplexidade aos estudiosos dos mercados de capitais. Aqueles parecem desafiar a racionalidade e a eficiência dos mercados e, em consequência, as teorias sobre avaliação de activos baseadas em pressupostos de racionalidade. De facto, os descontos tem sido detectados com frequência, já desde a crise de 1929, salvo em alguns períodos nos quais se observou a existência de prémios. Vários têm sido os estudos que procuram justificar este puzzle, tendo sido propostas algumas teorias e factores explicativos, umas baseadas em factores ditos racionais, outras em factores comportamentais (“behavioralistas”), mas nenhuma das quais satisfatoriamente aceites pela generalidade da comunidade académica e mesmo profissional. Considerando que os descontos/prémios dos fundos fechados poderão ser explicados quer por factores racionais (como a política de distribuição de resultados, custos de agência, liquidez e outros), quer por comportamentais (como o sentimento do investidor, limitações à arbitragem e informação assimétrica), desenvolvemos o presente trabalho de investigação tendo como enquadramento teórico estas hipóteses em conjunto (que designamos por corrente híbrida), o qual tem como objectivos principais: investigar os factores que poderão explicar a existência e persistência dos descontos/prémios, analisando as relações cross-sectional entre os descontos/prémios e esses factores, entre fundos; estudar o comportamento dos descontos/prémios ao longo do tempo e testar se a sua variabilidade poderá ser explicada pelos factores referidos, nomeadamente pelo sentimento do investidor, medido pelo índice construído por Baker e Wurgler (2006), o que nunca havia sido aplicado neste contexto, tanto quanto sabemos. Este trabalho teve por base uma amostra de 346 fundos de investimento fechados Norte – Americanos, transaccionados na NYSE e/ou na AMEX, durante o período de Janeiro de 1987 a Junho de 1999 (inclusivé), obtida através da base de dados da Wiesenberger, A Thomson Financial Company. Através de análise univariada e multivariada, constatamos que factores como: a política de resultados (mais concretamente o dividend yield), o turnover, o sentimento do investidor e o custo de replicação (limites à arbitragem), são variáveis estatisticamente significativas, pelo que parece existir suporte empírico para a corrente híbrida. Quanto ao comportamento dinâmico dos descontos, ou seja, no sentido de compreendermos porque os descontos/prémios variam ao longo do tempo, apuramos que as premissas relativas à correlação entre os descontos e a autocorrelação de 1.ª ordem, estacionaridade e variabilidade em excesso da rendibilidade do preço do fundo, eram corroboradas, havendo indícios de que o sentimento do investidor poderá ser um dos factores explicativos. Os testes de co-integração ao preço dos fundos e respectivo valor patrimonial líquido, assim como entre a série dos descontos médios e as proxies do sentimento do investidor, parecem validar os resultados anteriores, isto é, levam-nos a inferir que o sentimento do investidor poderá ser um dos factores a ter em conta para a explicação do comportamento temporal dos descontos/prémios. Acreditamos que este trabalho de investigação é mais uma contribuição em favor da corrente híbrida, tendo a particularidade de não se considerar apenas uma das proxies para o sentimento do investidor, mas um índice composto por algumas destas, como o proposto por Baker e Wurgler (2006), distinguindo-se, assim, de outros trabalhos. Acresce ainda que não existem muitos estudos, os quais advogando a corrente híbrida, analisem, simultaneamente, a existência e persistência dos descontos/prémios ente os fundos fechados e a sua variabilidade ao longo do tempo.
URI: http://hdl.handle.net/10198/1251
Appears in Collections:DEG - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
tese-Phd_complete_apmonte_Out08.pdf2,3 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 


© Instituto Politécnico de Bragança - Biblioteca Digital - Feedback - Statistics
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia