Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/11437
Título: Influência do solvente de extração no conteúdo em compostos bioativos e atividade antioxidante de perpétuas roxas (Gomphrena globosa L.)
Autor: Fernandes, Luana
Casal, Susana
Pereira, J.A.
Saraiva, Jorge A.
Ramalhosa, Elsa
Palavras-chave: Solvente de extração
Perpétuas roxas
Gomphrena globosa L.
Data: 2014
Editora: Sociedade Portuguesa de Química
Citação: Fernandes, Luana; Casal, Susana; Pereira, José Alberto; Saraiva, Jorge; Ramalhosa, Elsa (2014) - Influência do solvente de extração no conteúdo em compostos bioativos e atividade antioxidante de perpétuas roxas (Gomphrena globosa L.). In XX Encontro Luso-Galego de Química. Porto. ISBN 978-989-98541-7-8
Resumo: Atualmente há um interesse muito grande e global por encontrar fontes baratas e abundantes de antioxidantes naturais. Nesse sentido, diversos métodos e sistemas de solventes têm sido usados na extração de compostos bioativos em materiais vegetais. A perpétua roxa (Gomphrena globosa L.) é uma planta popular ornamental que é amplamente cultivada, tendo as suas flores potencial medicinal, por serem ricas em alguns compostos bioativos (betacianinas, betalaínas, flavonóides e outros). O presente estudo teve como objectivo comparar a influência de diferentes solventes de extração (água, metanol, acetona, água:acetona, metanol:ácido acético:água) no teor de flavonóides, taninos hidrolisáveis e atividade antioxidante (Capacidade Redutora Total, Efeito Bloqueador dos Radicais Livres DPPH e Poder Redutor) de extratos preparados a partir desta flor. Os resultados mostraram que o intervalo de valores entre os vários solventes foi amplo, nomeadamente, para os flavonóides (21,3 a 260,5 mg equivalentes de quercetina/g extracto), taninos hidrolisáveis (0,03 a 637,9 mg equivalentes de ácido tânico/g extracto), Capacidade Redutora Total (10,6 a 309,2 mg equivalentes de ácido gálico/g extracto), Efeito Bloqueador do Radical Livre DPPH (EC25) (0,003 e 1,43 mg extrato/ml) e Poder Redutor (EC50) (0,08 a 3,74 mg extrato/ ml). O solvente água:acetona (6:4, v/v) foi o que originou extratos com o maior conteúdo em flavonóides e taninos hidrolisáveis, e com a maior Capacidade Redutora Total e Poder Redutor. Ao avaliar a capacidade antioxidante pelo método de DPPH, verificou-se que o extrato com acetona foi o que apresentou o valor mais baixo de EC25, sugerindo uma maior atividade bloqueadora a este radical livre. Em suma, o solvente utilizado na extração de perpétuas roxas tem influência direta e muito considerável no conteúdo em compostos bioativos, tendo todos os solventes e misturas estudados originado extratos com atividade antioxidante apreciável. De um modo geral, o solvente água:acetona (6:4, v/v) foi aquele que apresentou maior eficiência. Contudo, no futuro deverão ser estudados os compostos extraídos pelos diferentes solventes para melhor compreender a sua extractabilidade. Os resultados também demonstraram que as perpétuas roxas são uma fonte promissora de antioxidantes naturais.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/11437
ISBN: 978-989-98541-7-8
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
24 Resumo Perpétuas Luso Galego Luana Fernandes.pdf68,6 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.