Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10198/10678
Título: Fertilização de lameiros naturais: produtividade e composição química da vegetação
Autor: Rodrigues, M.A.
Dias, Danyllo
Pires, Jaime
Ferreira, I.Q.
Freitas, Sara
Aguiar, Carlos
Arrobas, Margarida
Palavras-chave: Lameiro
Fertilização
Produção
Estado nutricional
Data: 2014
Editora: Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens
Citação: Rodrigues, M. A.; Dias, D.; Pires, Jaime; Ferreira, I.Q.; Freitas, Sara; Aguiar, Carlos; Arrobas, Margarida (2014) - Fertilização de lameiros naturais: produtividade e composição química da vegetação. In XXXV Reunião de Primavera da Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens. Santarém
Resumo: Os lameiros são pastagens seminaturais de montanha com elevada predominância no centro e Norte de Portugal, de elevado valor ecológico e a base de suporte da atividade pecuária local. A produtividade e a composição florística dos lameiros têm sido estudados em função de gradientes ecológicos diversos, mas poucos estudo têm incluído diferentes estratégias de fertilização com incorporação de micronutrientes. Neste trabalho procura estudar-se o efeito da aplicação isolada de quatro nutrientes - azoto, fósforo, potássio, e boro. O ensaio está localizado na Q.ta de S.ta Apolónia em Bragança. A gestão do lameiro é feita com pastoreio de ovinos no período Outono/Inverno e um corte para feno na Primavera. O ensaio encontra-se organizado em blocos casualizados com três repetições. Os tratamentos fertilizantes consistiram na aplicação no fim do inverno de 2013 de 80 kg N ha-1 na forma de nitrato de amónio, 150 kg (P2O5) ha-1 na forma de superfosfato 18%, 100 kg (K2O) ha-1 na forma de cloreto de potássio e 3 kg B ha-1 na forma de tetraborato de sódio. Apresentam-se os resultados da matéria seca produzida, da concentração dos nutrientes nos tecidos e da quantidade de nutrientes exportados na biomassa a partir de um corte efetuado em junho de 2013. A aplicação de boro e potássio originaram diferenças significativas respetivamente nas concentrações na matéria seca de B e K, com os valores mais elevados nos talhões que receberam estes nutrientes. A produção de matéria seca não foi significativamente diferente entre tratamentos fertilizantes, se bem que o valor medio mais elevado diga respeito ao tratamento com aplicação de azoto. Este resultado tem algum significado porque a quantidade de azoto exportado foi significativamente mais elevado na modalidade que recebeu a aplicação de azoto sem que tenha havido diferenças significativas na concentração de azoto nos tecidos. A quantidade de potássio exportado não foi significativamente diferente entre tratamentos apesar de terem sido registadas diferenças na concentração de potássio nos tecidos. A quantidade de B exportado na matéria seca foi significativamente superior no tratamento com aplicação de B em comparação com os restantes tratamentos. Os resultados mostram um efeito marcado da aplicação de fertilizantes na composição mineral das plantas. No futuro será efetuada a monitorização da composição florística e efetuada análise bromatológica da biomassa produzida.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10198/10678
Aparece nas colecções:CIMO - Resumos em Proceedings Não Indexados à WoS/Scopus

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SPPF 2014 Danyllo.pdf795,88 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.